Jornal do Comércio faz homenagem à pesquisa agrícola

O Jornal do Comércio, durante a 35ª Expointer, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), fará a entrega da 16ª edição do prêmio O Futuro da Terra. A homenagem distingue os pesquisadores que dedicaram suas carreiras ao crescimento do setor primário, estudando temas relacionados ao agronegócio e à preservação do meio ambiente. Neste ano, a solenidade acontecerá no dia 27 de agosto, às 19h30min, no auditório da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), no Parque Assis Brasil, em Esteio.
De acordo com a diretora-presidente da Fapergs, Nádya Pesce da Silveira, a homenagem realizada em parceria com o JC vem, há muitos anos, destacando projetos importantes que desenvolveram soluções para os problemas do agronegócio gaúcho e nacional. “É o reconhecimento, por parte de um órgão de imprensa, de uma atividade não muito conhecida pelo grande público, que é a pesquisa científica. Isso coloca o JC na vanguarda da comunicação, ao lado de grandes publicações do exterior que dão importância para a divulgação da ciência, algo que poucos veículos fazem no Brasil.”
A escolha e a indicação dos premiados são feitas através do comitê da área de Ciências Agrárias da Fapergs, cujos membros procuram escolher pessoas que voltaram sua vida profissional ao desenvolvimento da pesquisa agropecuária. “É avaliado o conjunto da obra do pesquisador, seu currículo, importância do trabalho para o setor primário”, elenca a presidente da fundação. 
Nádya também destaca a importância do setor agrário para a pesquisa científica no Rio Grande do Sul. Conforme a dirigente da Fapergs, 20% dos recursos do Programa de Apoio à Pesquisa da entidade são destinados para trabalhos ligados ao agronegócio. “É o segmento com o maior número de projetos, corresponde a 20% da demanda entre 14 áreas para as quais disponibilizamos auxílio.” Uma das razões apontadas para esse grande volume é o reflexo que as pesquisas agrárias têm na economia do Estado. “Elas transferem conhecimento para o setor produtivo, dando origem a práticas e tecnologias que contribuem para nosso crescimento e para a preservação de nosso meio ambiente.”
Nesta edição, a premiação terá nove homenageados, divididos em quatro categorias (Novas Alternativas Agrícolas, Preservação Ambiental, Cadeias de Produção e Tecnologia Rural) e um Prêmio Especial. A partir desta sexta-feira, o JC publica diariamente os perfis dos pesquisadores premiados em 2012.

PRÊMIO ESPECIAL

• João Mielniczuk: Revista Ciência Rural – Professor Titular Aposentado do Depto. de Solos da Ufrgs.

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Ilsi Boldrini: Professora associada da UFRGS/ Instituto de Biociências.
• Silvia Terezinha Sfoggia Miotto: Professora Associada da UFRGS do Instituto de Biociência, Departamento de Botânica

CADEIAS DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA

• Algenor da Silva Gomes, Pesquisador Aposentado da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS).
• David Driemeir, Professor da Veterinária da Ufrgs.

TECNOLOGIA RURAL

• Ronaldo Matzenauer, Fepagro.
• César Valmor Rombaldi, Professor Titular da Ufpel, Departamento de Agronomia.

NOVAS ALTERNATIVAS AGRÍCOLAS

• Sérgio Francisco Schwarz, professor adjunto da Ufrgs, departamento de horticultura e silvicultura.
• Celso Aita, Professor Associado da UFSM/Depto. Solos.

Expointer buscará retomada de negócios agropecuários

A 35ª edição da Expointer, que acontece de 25 de agosto a 2 de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, deverá ser marcada pela tentativa de reativação dos negócios no setor agropecuário gaúcho após as perdas geradas pela estiagem que atingiu o Estado.
Embora a elevação dos preços das commodities e a expectativa de normalização do clima para a safra de verão faz com que os participantes do evento tenham boas perspectivas de vendas, os prejuízos sofridos com a seca podem refrear essa tendência positiva.
Segundo o secretário estadual da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, a valorização dos produtos agrícolas e pecuários deve manter o crescimento da feira. “Os produtores estão estimulados e há financiamentos com recursos baratos para criar um ambiente favorável a novos investimentos, o que deve acontecer na Expointer.”
Entretanto, o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, destaca que, embora a Expointer tenha “a marca da superação”, as vendas na feira poderão ficar comprometidas se não houver renegociação de dívidas e alongamento de prazos para pagamentos. “Os produtores ficarão sem acesso a novos créditos. O período é conflituoso, porque a estiagem perdura”, alerta. Sperotto também acredita que a previsão de repetir o faturamento de R$ 834,7 milhões registrado em 2011 na comercialização de máquinas agrícolas pode não se confirmar devido à dificuldade na contratação de financiamentos.
Os organizadores têm a expectativa de que, durante os nove dias de feira, o Parque Assis Brasil receba cerca de 500 mil visitantes em 2012. Na edição de 2011, 483 mil pessoas passaram pelas roletas de acesso ao parque, segundo o relatório emitido pelo sistema de acesso eletrônico, implantado a partir do ano passado. O número de bilheterias foi ampliado, e placas de orientação para pedestres e motoristas também estão mais claras e visíveis.

Fonte: Jornal do Comércio |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *