JBS de Caxias tem surto de coronavírus

JBS de Caxias tem surto dEstabelecimento retoma atividades nesta segunda-feira com quadro de funcionários reduzido em 40%e coronavírus

Os gestores do frigorífico da JBS localizado em Ana Rech, em Caxias do Sul, reúnem-se, nesta segunda-feira, com funcionários da Secretaria Municipal da Saúde para apresentar um plano de contingência diante do surto de coronavírus identificado na unidade na sexta-feira. O plano é exigência estabelecida por decreto municipal, que regula o funcionamento das empresas para conter o contágio pela doença. Desde 23 de março, todos os frigoríficos instalados na cidade são monitorados pela Vigilância Sanitária e pelo Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest/Serra).

A confirmação do primeiro surto em frigorífico em Caxias do Sul ocorreu na noite de sexta-feira pela Secretaria Municipal da Saúde.

São 12 funcionários que testaram positivo para a doença. Nenhum precisou de hospitalização.

A unidade tem em torno de 1,7 mil trabalhadores.

Por meio de nota oficial, a JBS informou que, desde o início da pandemia no Brasil, tem se pautado pelo absoluto foco na saúde, na segurança e na proteção dos seus mais de 130 mil colaboradores para o enfrentamento à Covid-19 em todas as suas unidades.

Sustenta que, tão logo teve a confirmação do primeiro caso de Covid-19 na planta de Ana Rech, seguiu com todas as medidas previstas em seu protocolo, como o afastamento dos casos com indicação médica e monitoramento 100% dos demais colaboradores.

Também anunciou medidas de desinfecção geral da unidade.

Diz, ainda, na nota, que vem atuando em conjunto com as autoridades públicas e que suas ações seguem as recomendações dos órgãos de saúde e também do protocolo dos ministérios da Saúde, da Agricultura e da Economia. A empresa informa, também, ter contratado especialistas do Hospital Albert Einstein e médicos infectologistas para apoiar na construção das medidas de prevenção e na proteção aos seus colaboradores.

Também o Frigorífico Agroaraçá, de Nova Araçá, na serra gaúcha, apresentou problemas na semana passada. Por determinação do Ministério Público do Trabalho (MPT), o estabelecimento fechou na sexta-feira para uma desinfecção completa, por três dias. A empresa retorna às atividades nesta segunda-feira com quadro de funcionários reduzido em 40%. A volta à capacidade plena será progressiva até 10 de junho, após testagem de todos os empregados.

O termo de ajustamento firmado com o MPT prevê procedimentos de rastreabilidade, triagem periódica e rotina de testes em empregados para o controle e a prevenção do contágio e da transmissão da doença. Também fará busca ativa para identificar contatos de trabalhadores com pessoas suspeitas ou casos confirmados.

A fábrica, que emprega 1.573 pessoas, teve 158 casos confirmados da doença.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!