JBS compra área de suínos da Cargill

Menos de duas semanas depois de anunciar a aquisição da Moy Park, na Irlanda, por US$ 1,5 bilhão, a JBS informou ontem que firmou, por meio de sua controlada indireta, Swift Pork Company, um contrato de compra das operações de suínos da Cargill (Cargill Pork) nos Estados Unidos. O valor do negócio foi fixado em US$ 1,45 bilhão, livre de dívidas, mas o montante pode ser ajustado no fechamento da operação, pela variação do capital de giro líquido e dos passivos de longo prazo da Cargill Pork.

De acordo com o comunicado da JBS, a aquisição deverá ser paga à vista e em dinheiro no fechamento da operação. Estão incluídos no negócio duas fábricas de processamento de carne suína em Ottumwa (Iowa) e Beardstown (Illinois); cinco fábricas de ração em Missouri, Arkansas, Iowa e Texas, além de quatro granjas de suínos em Arkansas, Oklahoma e Texas.

Conforme apurou o Valor, a Cargill Pork tem uma receita líquida anual de US$ 2,56 bilhões e um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de US$ 212 milhões. Além disso, 81% de sua receita líquida é proveniente do mercado doméstico americano e 19% de exportações.

Com a aquisição da unidade de suínos da Cargill, a operação de suínos da JBS nos EUA (Suínos JBS USA) deve ter uma receita líquida pro forma de US$ 6,3 bilhões, apurou a reportagem. Além disso, terá uma capacidade de abate de 89.300 suínos por dia nos EUA. A Suínos JBS USA já tem três unidades processadoras de suínos e três plantas de pratos prontos no território americano.

A estimativa é que a aquisição da unidade de suínos da Cargill gere sinergias de cerca de US$ 75 milhões para a Suínos JBS USA.

Em comunicado divulgado nos EUA, o COO da Suínos JBS USA, Martin Dooley, disse que a transação irá fortalecer a posição da empresa "como produtora e fornecedora das principais proteínas animais ao redor do mundo, e ampliará as oportunidades para nossos parceiros produtores e fornecedores". O comunicado divulgado no Brasil diz que a operação está alinhada com a estratégia de longo prazo da JBS de crescimento em produtos com maior valor agregado, "ampliando a base de clientes, tanto no mercado interno quanto em exportações".

Com a ampliação de sua operação de suínos nos EUA, a JBS busca elevar sua fatia nas exportações globais de carne suína. Os EUA são atualmente os maiores exportadores do produto no mundo, com uma participação de 32% do total.

A operação, que está sujeita às aprovações das autoridades de defesa da concorrência dos Estados Unidos, mostra mais uma vez a agressividade da JBS, que no dia 21 de junho anunciou a compra da Moy Park, unidade de aves da Marfrig, na Irlanda.

Em novembro passado, a empresa já havia anunciado a aquisição da australiana Primo Smallgoods por US$ 1,25 bilhão, para expandir as exportações de produtos de maior valor agregado para a Ásia. Isso significa que a JBS gastou em aquisições de empresas cerca de US$ 4,2 bilhões em apenas sete meses.

Fonte: Valor | Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *