Jacto é eleita a Melhor do Agronegócio em 2013

Em seis anos empresa aumentou o faturamento em 122% e também levou o prêmio na categoria Tratores e Implementos Agrícolas

por Viviane Taguchi, de Pompeia (SP)

Editora Globo

O diretor geral da Editora Globo, Frederic Kachar, e o presidente da Jacto, Jorge Nishimura (Foto: Deco Rodrigues/Ed. Globo)

A Jacto, fabricante de tratores, implementos e máquinas agrícolas, com sede na cidade de Pompéia, interior de São Paulo, foi a grande campeã do Prêmio Melhores do Agronegócio 2013, premiação concedida anualmente pela revista Globo Rural. A empresa também levou a melhor na categoria Tratores e Implementos Agrícolas.

Os resultados apresentados pela Jacto referentes ao ano de 2012 colocaram a empresa no topo do ranking da Serasa Experian, com o melhor desempenho econômico-financeiro dentre todas as outras companhias que atuam no segmento. A Jacto obteve 43 pontos finais no levantamento, com uma receita líquida de R$ 1.065,46 bilhão.

A jacto foi fundada oficialmente em 1948 pelo imigrante japonês Shunji Nishimura. Nasceu em uma pequena oficina chamada Conserta-se tudo. Nishimura transformou seu pequeno negócio em um império. Foi ele quem inventou o primeiro pulverizador costal com manivela e sistemas retráteis e também, a primeira colheitadeira de café. Ambas invenções não existiam em nenhum país do mundo.

As mudanças pelas quais a companhia passou se deram principalmente na área de governança. Em 2006, o executivo Martin Mundstock assumiu a presidência da empresa (a primeira gestão não familiar). Em seis anos, elevou em 122% o faturamento da Jacto. “A inovação tecnológica sempre foi uma das regras dentro da empresa. Shunji Nishimura introduziu essa filosofia aqui e seguimos à risca”, diz Mundstock.

Jorge Nishimura, presidente do Conselho de Administração da Jacto, acredita que foi a aposta em inovação e tecnologia que colocou a empresa, hoje, no topo do ranking. “Meu pai sempre nos disse isso, que precisávamos [a empresa] estar preparados para o que o mercado queria”, lembra. “As pesquisas sempre foram prioridade, então sempre tínhamos uma novidade tecnológica pronta quando os concorrentes começavam a se mexer”. 

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *