Iraque prevê ampliar compra de frango do Brasil

Regis Filho/Valor / Regis Filho/Valor
Chaya, da Câmara de Comércio Brasil Iraque, vê espaço para mais negócios

Mais uma vez, o frango foi o produto que o Iraque mais importou do Brasil no ano passado e a expectativa é de que as compras continuem a avançar este ano. De um total de US$ 780,961 milhões em produtos que o Brasil exportou ao país em 2011, 70% foram provenientes da venda de frango, de acordo com a Câmara e Comércio e Indústria Brasil Iraque.

As exportações totais avançaram 5% sobre 2010, quando somaram US$ 743,034 milhões. Naquele ano, a fatia do frango no bolo da exportação também tinha sido de 70%.

Outros produtos agrícolas brasileiros estão entre os itens mais comprados pelo Iraque: açúcar (17,7% do total) e carne bovina (7,5%), segundo o acompanhamento da câmara. Além desses produtos, o país que se recupera após a guerra também importa máquinas de construção produzidas no Brasil, cigarro, incubadoras para bebês, café solúvel descafeinado, aparelhos cirúrgicos, confeitos e outros.

O Iraque importa frango do Brasil desde o início dos anos 1980, e apesar de ser um mercado consolidado há espaço para crescimento, segundo Jalal Jamel Chaya, presidente da Câmara de Comércio. Ele diz que o custo do frango brasileiro caiu 20% a 25% em relação a setembro de 2011. "O norte do Iraque, que tradicionalmente compra da Turquia, está aumentando as compras do Brasil", disse. O Irã e a França também concorrem com o Brasil nesse segmento no Iraque.

A menor demanda da Europa por causa da crise que afeta o continente também pode estimular as vendas de frango para o mercado iraquiano, afirma o presidente da entidade.

Ele acredita que se o frango brasileiro continuar competitivo em relação aos concorrentes no mercado iraquiano, a receita com as vendas do produto ao país poderá crescer de 20% a 30%.

A reconstrução do Iraque, que faz crescer a demanda por mão de obra de outros países, também deve estimular o consumo de outros produtos, observa. "Não queremos focar só no frango", diz sobre a estratégia da câmara. "Empresas estão prospectando negócios na área de construção e infraestrutura no Iraque", lembra.

Do lado brasileiro, as compras de produtos do Iraque totalizaram US$ 898,193 milhões em 2011, segundo a câmara.

Fonte: Valor | Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.