Interdição da JBS em Passo Fundo vira notícia mundial

Unidade que teve 19 funcionários confirmados com contágio do novo coronavírus foi destaque no New York Times
A interdição da unidade da JBS em Passo Fundo, que teve 19 funcionários confirmados com contágio do novo coronavírus, virou notícia no New York Times, um dos mais renomados jornais do mundo. Na sexta-feira (24), o Ministério Público do Trabalho (MPT) determinou a interdição do frigorífico por descumprimento das recomendações sanitárias exigidas para contenção da pandemia.”Um frigorífico da JBS no sul do Brasil foi atingido por um surto de Covid-19, segundo promotores do trabalho, marcando a primeira infecção em larga escala em uma fábrica de carne brasileira”, publicou o periódico estadunidense.

Segundo a reportagem, produzida com o auxílio da agência Reuters, a interdição “segue vários outros surtos em instalações de processamento de carne nos Estados Unidos nas últimas semanas, inclusive em algumas fábricas pertencentes à JBS”.

De acordo com MPT, o frigorífico não evita contato interpessoal dos trabalhadores, nem adota medidas preventivas adequadas e procedimentos de vigilância ativa aptos a garantirem afastamento dos trabalhadores que mantêm contato com casos suspeitos ou confirmados.

Neste domingo (26), a Associação dos Fiscais Agropecuários do Rio Grande do Sul (Afagro) solicitou providências ao governo do Estado sobre a adoção de medidas para as atividades realizadas nos frigoríficos gaúchos. As atividades industriais nos frigoríficos são fiscalizadas pela Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA) da Secretaria da Agricultura (Seapdr). Por serem locais fechados e de maior aglomeração, os abatedouros são lugares com potencial de disseminação do vírus.

Em nota, a JBS refuta as informações do auto de interdição e afirma que está “confiante na segurança das medidas adotadas com o objetivo de prevenir o contágio da Covid-19 e proteger cada um de seus colaboradores”. A empresa diz que seus procedimentos atendem as orientações da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia. Segundo a JBS, ao contrário do auto de interdição, que extrapolaria o protocolo da Secretaria do Trabalho, as ações implementadas pela empresa estão amparadas em laudos e recomendações técnicas dos órgãos de saúde e de especialistas da área médica.

Fonte: Jornal do Comércio