Instituto do Meio Ambiente mapeia ocupações existentes na APA do Pratagy

Divulgação

Trabalho foi feito com o apoio do Batalhão de Polícia Ambiental

Uma equipe da Diretoria de Unidades de Conservação e Gerência de Geoprocessamento do Instituto do Meio Ambiente (IMA) esteve, nesta quarta-feira (10), nas proximidades do Conjunto João Sampaio II, dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratagy, para identificar pontos que serão georreferenciados e anexados ao relatório sobre o tipo de ocupação feita no local. O trabalho foi feito com o apoio do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).
A ação é mais uma das etapas para que sejam cumpridos levantamento e estudo determinados pelo Ministério Público Estadual (MPE) após denúncias sobre diversos tipos de irregularidades. Entre elas, estão crescimento e avanço desordenado das famílias do acampamento Dandara em direção à área onde ainda há vegetação remanescente; loteamento e construção de casas, aparentemente sem licença ambiental e de modo irregular; e desmatamento de áreas verdes em direção às margens do Rio Pratagy.
No próximo dia 28, termina o prazo de 60 dias dado pelo MPE para que o IMA, em parceria com a Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma), apresente o estudo respondendo a perguntas sobre as inadequações às normas urbanísticas e utilização da área, além de perícia para constatação de dano ambiental.
A APA do Pratagy possui 13.369,5 hectares e abrange terras dos municípios de Messias, Rio Largo eMaceió. Criada pelo Decreto nº 37.589/1998 tem como objetivo harmonizar as atividades com o equilíbrio ambiental do ecossistema da Bacia Hidrográfica do Rio Pratagy. Enfrenta problemas como o crescimento desordenado, pressão sobre a fauna e flora ainda presentes na região e precariedade de habitações localizadas em determinadas áreas do entorno da APA.

por Agência Alagoas

Fonte: AquiAcontece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *