Instabilidade das cotações marca mercado da soja

O mercado de soja voltou a registrar cotações instáveis, oscilando em função do clima na América do Sul, segundo pesquisadores do Cepea. Em alguns dias, previsões de chuvas causavam baixa dos preços mas, em outros, relatos de que poderiam não ser suficientes para recuperar a produção, voltavam a dar sustentação.

O mercado também refletiu o avanço da colheita no Paraná e em Mato Grosso, apesar de as chuvas dificultarem os trabalhos nos últimos dias. Em Mato Grosso, onde a colheita se iniciou no final de 2011, mesmo que lentamente, há expectativa de que a produtividade fique um pouco abaixo da observada na safra anterior, caracterizando-se como a segunda maior da história. Porém, as chuvas têm interrompido os trabalhos, ainda que não haja relatos de perdas ou impacto negativo sobre a produção.

No Paraná, agentes consultados pelo Cepea estavam preocupados com a estiagem, que atrasou o desenvolvimento das lavouras de soja, principalmente da região oeste do Estado. Entretanto, as recentes chuvas têm renovado o ânimo dos produtores quanto à atual safra, apesar de as primeiras lavouras apontarem perdas expressivas da produção.

Em São Paulo, produtores consultados pelo Cepea dizem que as lavouras estão em boas condições, mas citam sinais com preocupações de possíveis perdas em algumas regiões devido aos baixos índices pluviométricos de dezembro e início de janeiro.

Fonte : RuralBr | CEPEA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.