Inquérito da anemia infecciosa equina começa nesta segunda no Rio Grande do Sul

Equipes visitarão 341 propriedades e colherão mais de mil amostras

Ricardo Stricher

Foto: Ricardo Stricher / PMPA

O resultado das análises epidemiológicas no Rio Grande do Sul será divulgado em dezembro deste ano.

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) do Rio Grande do Sul começa, nesta segunda, dia 23, o inquérito epidemiológico para a o estudo da prevalência da anemia infecciosa equina no Rio Grande do Sul. O inquérito será realizado por 18 equipes. Cada equipe, formada por um médico veterinário e um auxiliar, deve visitar cerca de 20 propriedades. No total, serão 341 propriedades e 1.042 mostras coletadas. Devem participar do inquérito somente animais acima de seis meses de idade.

>> Veterinário tira dúvidas sobre anemia infecciosa equina no quadro Dr. Pecuária

– Todas as sete mesorregiões do Estado serão contempladas no inquérito epidemiológico. A partir dos resultados, será construída a estratégia de defesa sanitária equina do Rio Grande do Sul para os próximos anos – afirma a médica veterinária do Serviço de Educação Sanitária da Seapa Rosane Collares.

Conforme Rosane, o inquérito também vai permitir a análise da presença de outras enfermidades como a arterite, influenza, herpesvírus, vaccínia e adenite equina (garrotilho). Nas propriedades também será aplicado um questionário para investigar fatores de risco ligados às enfermidades. O resultado das análises epidemiológicas será divulgado em dezembro deste ano.

Conforme a última declaração anual do rebanho, dos 497 municípios do Estado, somente em Nova Boa Vista não foi declarada a presença de equinos nas propriedades rurais. O total de equinos declarados no Estado foi de 522.578, distribuídos em 103.179 propriedades.

>> Saiba quais cuidados tomar para evitar esta doença

GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *