INFORME RURAL | THIAGO COPETTI (INTERINO)

 

  • Um barril de pólvora no Norte do Estado

    Um tema árido espera o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para a aguardada visita ao Estado, que não mais ocorrerá nesta quarta-feira, como previsto anteriormente. Cardozo se reunirá com produtores rurais para falar sobre a demarcação de terras indígenas no Rio Grande do Sul.
    O encontro anunciado na semana passada, foi adiado para o final do mês ou início de novembro, de acordo com Ricardo Zamora, chefe de gabinete do governador Tarso Genro.
    A transferência, porém, não agradou aos agricultores da Região Norte, que em protesto podem voltar às ruas com seus tratores, como fizeram na sexta-feira, em Passo Fundo, diz o presidente do sindicato rural do município, Paulo de Tarso, chamando atenção para o caso.
    A situação é preocupante pelo futuro econômico dos produtores, mas também por um motivo de curto prazo. O desafio imediato do ministro não é resolver a disputa judicial, mas pelo menos arrefecer os ânimos em cidades como Sananduva e Mato Preto. Os dois municípios são um barril de pólvora com pavio não muito longo, e estão entre aqueles que podem perder grandes áreas hoje em mãos de agricultores.
    – O clima é tenso, e daqui a pouco acaba tendo alguma vítima, agricultor ou índio. Entendemos o lado dos índios também, mas não se pode tirar de casa imigrantes e seus descendentes, que estão nessas terras há 140 anos – critica o presidente do sindicato rural de Passo Fundo.
    Sidimar Lavandoski, integrante da diretoria da Fetraf/Sul e coordenador do tema na entidade, diz esperar que o governo traga ao encontro uma proposta de solução para desemperrar o caso de uma vez.
    – Queremos basicamente que o assunto ande, porque está parado e não vemos nada ser feito. Não está se apontando um caminho para evitar as desapropriações – avalia Lavandoski.
    Mais do que em Estados como o Mato Grosso do Sul – onde a maior parte das terras é fruto de grilagem, de acordo com Zamora –, no Rio Grande do Sul a questão é a legalidade das desapropriações e indenizações.
    – Aqui são terras em que se têm títulos de propriedade concedidos pelo Estado. Só em Mato Preto, são 4,2 mil hectares envolvendo 370 famílias – completa Zamora, que coordena o grupo de trabalho do governo gaúcho sobre o assunto.

  • Remates de peso na fronteira

    Os dois remates que movimentaram Uruguaiana entre ontem e a noite de sexta-feira acumularam quase R$ 2,5 milhões em vendas. Apenas o leilão da Tellechea Associados & Convidados (foto) faturou R$ 1,42 milhão. Com a venda de animais de genética valorizada em feiras como Expointer e Feicorte, a média ficou em R$ 4,35 mil, ante R$ 3,2 mil registrada no ano passado. Isso em um final de semana que já começou aquecido pelos negócios do 50º leilão Aurora e Sossego, também em Uruguaiana, com faturamento de R$ 1,08 milhão.
    Dando sequência aos remates e exposições da temporada, a semana é de programação intensa na 80º Exposição Agropecuária de Dom Pedrito-Farm Show/2013, e não apenas com o mercado de bovinos. No dia 23 ocorre um ciclo de palestras sobre ovinocultura. E amanhã, na Capital, quem lança sua feira, também com mais de 80 edições já realizadas, é o Sindicato de Santa Vitória do Palmar, que realiza a 82ª Exposição Agropecuária.

  • Curso gratuito sobre sucessão familiar

    A Cooperativa Languiru abriu inscrições para o Programa de Sucessão Familiar aos associados e filhos de associados. A ideia é auxiliar os jovens a fazerem seus próprios projetos, com ajuda dos profissionais do departamento técnico da Languiru. O curso inclui temas como tecnologias de informações gerenciais para a agropecuária, gestão, associativismo e alianças estratégicas. Ao todo, serão 26 meses de formação.

  • Leilões virtuais de máquinas agrícolas

    A Superbid, empresa que atua no segmento de pregões digitais, registrou neste ano crescimento de 35% (e movimentação de R$ 400 milhões) na venda de máquinas agrícolas. A empresa tem cerca de 560 lotes de bens industriais relacionados ao agronegócio e mais de 10 leilões previstos para este mês.

  • Seleção para a Embrapa em Bento Gonçalves

    Aberta para candidatos pertencentes ou não ao quadro do órgão, as inscrições ao cargo de chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves começam no dia 5 de novembro, exclusivamente pela internet, no endereço eletrônico www.embrapa.br/selecaochefe.

  • A Associação Nacional de Defesa Vegetal promove o 1º Workshop Brasil Educação e Segurança no Campo amanhã, em Brasília.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *