INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

 

  • Reparos para o projeto do parque andar

    Começam a ser feitos hoje ajustes no texto do projeto de lei que trata sobre o Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Um entendimento de integrantes da própria bancada do PT de que a agricultura familiar não estava devidamente contemplada fez a proposta ser retirada da Assembleia Legislativa.
    Agora, devem ser incluídos novos pontos, atendendo a sugestões feitas em reunião realizada ontem. Um deles, explica o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, é a participação de entidades representativas dos produtores familiares no conselho consultivo, que opinará sobre a aprovação do plano diretor da área e alterações a serem feitas. O outro é deixar mais clara a importância do setor no parque.
    – A ideia é mandar o projeto até a semana que vem, em regime de urgência – garante Mainardi, que avalia ser possível a votação ainda neste ano.
    Para o deputado Altemir Tortelli, a preocupação é garantir que o projeto, importante ferramenta para a revitalização do parque, contemple um espaço diferenciado para a agricultura familiar, a exemplo de outras áreas – como educação e tecnologia. Para isso, dois movimentos devem ser feitos. A curto prazo, os ajustes na redação da proposta. E com mais de tempo, trabalhar na criação do chamado polo da agricultura familiar.
    Dos grandes projetos encampados pela Secretaria da Agricultura, o do parque parecia ser o de menor dificuldade para passar pela Assembleia. Com a agricultura familiar explicitamente contemplada, deve deslanchar, já que a ideia de usar a área da Expointer o ano inteiro é bem-vista por todos. Seguem desafios maiores, como o polêmico projeto da identificação bovina, ainda em negociação.

  • Estratégia nova em pista

    Além da qualidade em pista, com a oferta de mais de 1,5 mil animais nos remates, a 82ª Expofeira de Santa Vitória do Palmar terá ação diferenciada neste ano. A tradicional feira, que começa no dia 29, dedicará o dia 2 de novembro para negociar arroz e leite com preço calculado sem o peso dos impostos inerentes ao custo da produção.
    – A ideia é mostrar o quanto os custos de produção diminuem sem impostos, e por quanto esses produtos poderiam chegar ao consumidor não fosse a tributação – explica Antônio da Luz, economista da Farsul, entidade que irá organizar a ação por meio da comissão jovem.
    Os produtos foram cedidos por parceiros do evento e serão vendidos em pacotes de um quilo e garrafas de um litro. No arroz, os impostos representam 32,4% dos custos de produção. No leite, 30,8%.
    Nos remates, a expectativa é superar o faturamento do ano passado, que foi de R$ 4 milhões.
    – Temos uma genética valorizada, aliada ao controle de carrapatos, e isso se reflete nas médias de preços dos animais vendidos. A estabilidade dos preços do arroz e da pecuária também irão favorecer os negócios – afirma o presidente do Sindicato Rural de Santa Vitória do Palmar, Fábio Avancini.

  • Prêmios para a inovação no campo

    O resultado da primeira premiação da Federasul ao agronegócio foi anunciado ontem. Os escolhidos recebem os troféus no dia 28. O objetivo da Federasul com o prêmio Vencedores do Agronegócio é valorizar inovação e tecnologia.

  • VENCEDORES

    Antes da porteira
    – Indústria de insumos: Simbiose Ind. e Com. de Fertilizantes e Insumos Microbiológicos (case Sustentabilidade e Sucesso)
    – Indústria de Máquinas e Equipamentos: Produfort Indústria e Comércio de Equipamentos (case Desenvolvimento da Plataforma de Corte, Enleiramento e Recolhimento de Canola)
    Dentro da porteira
    – Produção Agropecuária: Guatambu Estância do Vinho (case Vinícola Enoturística),
    – Agroindústria: Cooperativa Languiru (case Programa de Readequação das Atividades)
    Depois da porteira
    – Distribuição: Terminal Marítimo Luiz Fogliatto-Termasa (case Sistema Pampa de Logística)
    – Serviços de Apoio ao Agronegócio: Instituto Brasileiro do Vinho-Ibravin (case Construindo e Projetando a Imagem do Vinho Brasileiro)
    – Sustentabilidade Social, Econômica e Ambiental: Cooperativa de Produtores Ecologistas de Garibaldi (case Sustentabilidade para Gerações Vindouras)
    Homenagem Especial: Cotrijal (case Expodireto)

  • – O valor de referência a ser pago ao produtor pelo leite padrão em outubro é de R$ 0,9042 o litro, segundo o Conseleite. O preço tem tido queda: 1,56% entre agosto e outubro e 1,25% entre setembro e outubro.
    – Mato Preto foi identificado incorretamente como município em nota que tratava sobre a questão da demarcação de terras no norte do Estado publicada na edição de segunda-feira.

  • O Engenheiro Agrônomo no Atual Contexto da Realidade Socioeconômica Brasileira será tema de palestra do professor Mario Hamilton Villela. O evento é parte da semana da Agronomia e será realizado hoje no Salão de Atos da Faculdade de Agronomia da UFRGS, na Avenida Bento Gonçalves, em Porto Alegre. A entrada é gratuita.
    Colaboraram Joana Colussi e Thiago Copetti

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *