INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

 

  • A hora certa de mudar

    Vem de um dos idealizadores da mudança da Expointer para Esteio – quando a feira ainda nem levava esse nome – o apoio para que o Parque de Exposições Assis Brasil passe por uma transformação que lhe garanta vida útil o ano inteiro. O ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da Federação da Agricultura do Estado Luiz Fernando Cirne Lima afirma que este é o momento para dar uma nova cara à exposição:
    – O parque não pode funcionar só nesses nove dias. Está na hora de reestudar a feira.
    O ex-ministro é favorável à parceria público-privada. No projeto de revitalização da secretaria da Agricultura, estão contempladas, entre outras coisas, a construção de um hotel, de um agroshopping com a ajuda da iniciativa privada.Cirne Lima usa a feira que serviu de inspiração para o atual modelo de Esteio como argumento:
    – Poucos sabem, mas a Royal Show, na Inglaterra, deixou de existir. Por causa dos altos custos de manutenção.
    Cirne Lima foi jurado no evento britânico em 1967. Embarcou com um grupo de amigos. Todos voltaram impressionados com o que viram. Começava ali a se desenhar um novo formato para a exposição gaúcha, que até então se realizava em uma área do bairro Menino Deus, em Porto Alegre, e contava apenas com animais. A mudança foi concretizada pelo secretário de Agricultura do Estado à época, Luciano Machado, e marcou uma nova era.
    – Nesses mais de 40 anos em Esteio, a exposição se transformou. Hoje, é uma das grandes feiras do agronegócio no mundo – avalia Cirne Lima, que veio a Esteio na condição de ministro em 1972, quando a feira ganhou o nome Expointer.
    Todo esse vigor pede novo fôlego. Está na hora de escrever mais um capítulo, que dê uma grande virada na história do parque.

  • Em qualquer pista

    Em pista para julgar os animais da raça devon (veja o resultado na página ao lado), o ex-ministro da Agricultura Luiz Fernando Cirne Lima (foto) lembrou da primeira Expointer realizada no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. A exemplo do que ocorreu neste ano – e em muitos outros –, a feira foi realizada debaixo de chuva intensa:
    – As ruas não eram pavimentadas. A gente atolava com terra até o joelho.
    Aos 80 anos, o criador também acompanhou a evolução do devon. Nos 50 anos que transcorreram desde a primeira vez em que foi jurado, afirma que a genética e a seleção ajudaram a raça a garantir qualidade de carcaça e no tamanho do gado.

  • Depois de acumular R$ 25 milhões na Expointer de 2012, a Case New Holland projeta chegar a R$ 30 milhões em vendas nesta edição. Desse total, entre 40% e 50% devem ser financiados pelo banco da própria fábrica, o CNH Capital.

  • Irrigação volta à pauta da Assembleia

    O projeto de lei que trata da criação da Política Estadual de Irrigação, voltará à Assembleia amanhã. Agora, a proposta, segundo o governo, inclui sugestões das entidades do campo, entre as quais a prioridade para políticas de reservação de água. Na prática, normas que facilitem a construção de tanques e açudes em pequenas propriedades. O projeto teve pedido de urgência retirado em maio. O texto será enviado em regime de urgência e a previsão é de que seja votado até o início de outubro.

  • A implementação do Cadastro Ambiental Rural promete ganhar vida na Expointer. É que amanhã a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, vem a Esteio, onde assina convênio com a Secretaria da Agricultura, a Fetag, a Farsul e o Senar. O acordo permitirá a transferência de conhecimento técnico para treinamento dos agentes que ajudarão produtores na realização do cadastro.
    Colaborou Vagner Benites

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *