INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

 

  • Máquinas a todo o vapor

    Não é por acaso que o setor de máquinas projeta uma Expointer de resultados históricos em 2013, com faturamento na casa dos R$ 2,5 bilhões. O bom resultado das lavouras, o crédito farto e os juros reduzidos o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) tem taxa atual de 3,5% seguem ditando forte ritmo de produção e vendas no setor.
    Prova disso são os números divulgados ontem pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). A quantidade de máquinas agrícolas comercializada em julho é 20% maior do que no mesmo mês do ano passado somando 7,6 mil unidades. No acumulado do ano, a alta é ainda maior: 28%, com 48,7 mil unidades vendidas.
    O movimento foi tamanho que a entidade teve de rever as estimativas de crescimento para o ano, que deve fechar na casa de 83 mil unidades, alta de 18,4%. Segundo Milton Rego, vice-presidente da Anfavea, a projeção inicial era de crescer 5%. Resultado do momento em que foi feita, em setembro de 2012. Logo depois, veio o anúncio da redução da taxa de juro do PSI, a quebra na safra dos Estados Unidos, que valorizou as commodities, e a colheita cheia no país.
    – Os produtores tiveram rentabilidade, ficaram capitalizados e foram às compras – diz o dirigente.
    A partir de agora, o mercado deve caminhar para a estabilização. Continuará crescendo, mas em um ritmo menos acelerado. Isso não significa que o produtor deixará de comprar. Até porque, a necessidade crescente de aumento da produtividade tem sido um grande motivador para o agricultor, que aposta em tratores e colheitadeiras maiores, com mais tecnologia embarcada. Esses equipamentos devem ser as grandes preferências dos negócios realizados em Esteio.
    Nesse cenário, Milton faz uma provocação: o que vai acontecer com o PSI a partir de janeiro, já que a taxa reduzida vale só até 31 de dezembro?

  • Oito empresas da Grã-Bretanha confirmaram presença nessa edição da Expointer.
    São companhias que abrangem diferentes segmentos:leite, genética, rastreabilidade, grãos, saúde e nutrição animal.

  • Pista de referência

    Com oferta maior do que no ano passado, a 9ª Feira de Novilhas e Ventres Selecionados da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), promete uma pista de bons negócios durante a Expointer. Ao todo, 700 animais das raças angus e devon serão leiloados, quantidade 18% maior do que a vendida na edição passada. A expectativa é de que a média também cresça, chegando a R$ 1,4 mil. Em 2012 (foto acima), o valor ficou em R$ 1,14 mil.
    – Esse é um evento consolidado. Além disso, as feiras de primavera balizam seus preços a partir da Expointer – afirma Francisco Schardong, presidente da comissão de exposições e feiras da Farsul.
    Para José Antônio Cardoso, diretor da Santa Úrsula Remates, organizadora do leilão, a valorização do terneiro é o principal incentivo para investir na compra de fêmeas. Aliás, os lotes devem atrair compradores que querem começar um plantel.
    O crédito para financiamentos está garantido por Banrisul e Banco do Brasil.

  • Na contagem regressiva para Expointer, mais três obras foram concluídas no parque Assis Brasil, em Esteio, somando R$ 1,08 milhão em investimentos. Construção de arquibancada na pista de equinos, recuperação de platibandas em dois pavilhões e drenagem de duas pistas de julgamento estão na lista.

  • Foram vendidas 32,48 mil toneladas de arroz nos leilões realizados ontem pela Conab. O volume corresponde a 64,78% do ofertado.

  • Na safra certa

    O avanço das sementes transgênicas nas lavouras do país para 40,3 milhões de hectares será na safra 2013/2014 e não na safra 2012/2013, como divulgado pelo Informe Rural ontem. Os números são do levantamento da consultoria Céleres e apontam alta de 7,3% na adoção de sementes geneticamente modificadas no ciclo.

Multimídia

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *