INFORME RURAL | GISELE LOEBLEIN

Queda de braço nos bastidores do leite

Forças antagônicas têm trabalhado em uma campanha de bastidores para tratar dos dois projetos de lei sobre a produção de leite que tramitam atualmente na Assembleia gaúcha, em regime de urgência.
De um lado, a Secretaria da Agricultura tem feito uma verdadeira peregrinação aos gabinetes dos deputados, na tentativa de persuadi-los a votar a favor das propostas que implementam o Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Prodeleite) e o Fundo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Fundoleite).
– Estamos levando informações, com técnicos, para os deputados serem conscientes na hora da decisão. A grande maioria já entende o projeto como sendo de Estado e não de governo – argumenta Ardêmio Heineck, consultor da Câmara Setorial do Leite da secretaria.
Entidades ligadas aos produtores e à indústria, contudo, entendem que ainda falta acordo sobre o tema. Ontem, durante reunião com o governador Tarso Genro para tratar do piso salarial regional, foi solicitada mais uma vez, a retirada do regime de urgência dos projetos do leite.
– Passei ao governador que não existe consenso sobre os projetos – explica o presidente da Federação da Agricultura do Estado, Carlos Sperotto.
Em junho, também atendendo a pedido feito por entidades do setor durante encontro com o governador, o regime de urgência do antigo projeto – a versão atual tem uma nova redação – já havia sido retirado.
Uma reunião marcada para hoje na Secretaria da Agricultura pode dar um novo rumo à questão. Como estão em regime de urgência, as duas propostas passam a trancar a pauta a partir da próxima terça-feira, dia 19. Outro tema a ser discutido hoje, em outro encontro, é o igualmente polêmico projeto de identificação bovina, cuja proposta também foi retirada da Assembleia. Um novo texto está sendo construído.
Com relação ao leite, paralelo às negociações com o governo, outra ideia é trabalhada pelo Conseleite. Prevê a criação de um centro de inteligência e está em fase de elaboração do estatuto.

 

Milho a caminho do Estado

Valeu a insistência da indústria gaúcha. O Ministério da Agricultura anunciou que irá realizar novo leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor, desta vez incluindo Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Serão negociadas 800 mil toneladas no dia 20.
Ontem pela manhã, representantes da Associação Gaúcha de Avicultura e do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do Estado tiveram audioconferência com o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, na qual apresentaram os custos para trazer o produto de fora do Estado. Os leilões ajudam a diluir os gastos com frete.
– A medida nos dá uma certa tranquilidade – afirma o diretor-executivo da Asgav, José Eduardo dos Santos.

 

  • Parceria sustentável no Taim

    O primeiro passo será elaborar um plano de manejo, mas a longo prazo a ideia é preparar produtores da zona de amortecimento da Estação Ecológica do Taim (foto), no sul do Estado, para obter a uma indicação de origem.
    Essa é a proposta de termo de reciprocidade que acaba de ser firmado entre a estação, a Embrapa Clima Temperado e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
    – Na prática, prevê o desenvolvimento de boas práticas agrícolas a partir da valorização dos recursos naturais – explica Clenio Pillon, chefe-geral da Embrapa Clima Temperado.
    A partir da análise de solo será possível definir quais as melhores atividades para a região. A chamada zona de amortecimento é uma área no entorno do Taim com cerca de 60 mil hectares, 40 mil dos quais com possibilidade de produção. Atualmente, já são desenvolvidas atividades como cultivo de arroz, pecuária e silvicultura.
    – A ideia é ter uma vizinhança próspera e com respeito à unidade de conservação – completa Caio Eichenberger, analista ambiental da Estação Ecológica do Taim.

  • O Brasil acerta os últimos detalhes para um acordo com a França na área da agricultura. A assinatura do protocolo deve ocorrer durante a visita do presidente François Hollande, programado para 12 de dezembro.

  • Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *