INFORME RURAL

 

  • Um tema ainda sensível

    O barulho em torno do projeto de lei 20/2012, de autoria do deputado estadual Gilmar Sossella (PDT), mostra que os agrotóxicos ainda são um tema sensível. Considerados ferramentas importantes para a produção, os também chamados defensivos agrícolas ganharam as lavouras mundo afora, mas nem por isso se tornaram uma unanimidade.
    Ontem, a retirada do projeto foi comemorada por ambientalistas presentes na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa. Sossella admite fazer ajustes e afirma que o projeto será reapresentado após essas alterações serem concluídas. Contrapondo críticas, defende a proposta, afirmando que o texto trata “tão somente sobre estocagem, armazenagem e comercialização dos produtos”. E rechaça a tese de quem vê entre seus objetivos liberar novos produtos.
    A proposta é alterar regras como a que determina a distância mínima de 30 metros de distância dos depósitos de agrotóxicos das residências mais próximas.
    O deputado sustenta que seu principal argumento para insistir no projeto é beneficiar estabelecimentos agropecuários de pequenos comerciantes já instalados – nas contas de Sossella, haveria ao menos 700 atuando de forma irregular.
    – Se nós festejamos a safra recorde, é porque temos esses insumos. São fundamentais – afirma.
    Esses argumentos são rebatidos por entidades e também por parlamentares. Um dos contrários ao projeto, Edegar Pretto (PT) vê com preocupação o uso excessivo de agrotóxicos e aponta que a proposta vai na contramão das tendências mundiais. Acrescenta ainda que, do ponto de vista formal, o texto tem inconstitucionalidades.
    – O Brasil tem a triste marca de ser o maior consumidor mundial desses produtos – diz Pretto.
    A polêmica promete ganhar mais um capítulo quando o novo texto chegar à Assembleia.

  • Para gringo ver e comprar

    Nem só de compradores brasileiros devem ser os negócios com máquinas e implementos agrícolas na Expointer. Durante a feira, o Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas do Estado (Simers) e a Apex-Brasil vão organizar uma rodada de negócios internacionais em Esteio.
    Com o Excellence in Green Technologies serão reunidas empresas brasileiras e importadores de países como Angola, Bolívia, Senegal, Colômbia, Peru e Venezuela. Serão dois dias de rodada de negócios. Essa é a segunda etapa do projetos internacional – a primeira foi realizada no Distrito Federal, durante a Agrobrasília.
    – Lá já tivemos um bom retorno, ainda que esse tipo de negócios demore um pouco para se concretizar. E lá é uma feira bem menor. Aqui, verão muito mais coisas – avalia Claudio Bier, presidente do Simers.

  • A propósito: será que neste ano a presidente Dilma Rousseff vem ao Estado prestigiar a inauguração da Expointer? O convite já foi feito.

  • Clique no PDF abaixo:

  • Sai o valor de referência

    Definido ontem pelo Conseleite-RS,o valor de referência para o produto em julho foi consolidado em R$ 0,8951.Para agosto,o projetado é de R$ 0,9158.Segundo o presidente da entidade, Wilson Zanatta,a alta se deve à valorização do dólar e ao avanço do consumo.

Multimídia

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *