INFORME RURAL

 

  • Exportações de milho crescem

    A exportação brasileira de milho, em março, somou 1,6 milhão de toneladas. O volume é 525,7% acima do registrado mesmo mês de 2012. Na comparação com fevereiro deste ano, porém, o grão mostra desaceleração. Naquele mês, a exportação do cereal totalizou 2,3 milhões de toneladas, de acordo com o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.
    Em receita, a exportação de milho totalizou US$ 473,9 milhões, 613,7% maior que em março do ano passado, de US$ 73 milhões. Na comparação com fevereiro, quando o valor obtido foi de US$ 648,5 milhões, o recuo é de 34,2%. As exportações brasileiras do grão começaram a crescer no segundo semestre do ano passado, após a frustração da safra americana. A tendência, no entanto, é de que os embarques percam ritmo e sejam retomados novamente no segundo semestre, com as vendas da safrinha.

  • Reunião e protesto marcados em Ijuí

    Asegurança jurídica dos cooperados na hora da entrega da soja será um dos temas do encontro de hoje entre produtores e a diretoria da Cotrijuí. Para tranquilizar quem teme entregar o grão em razão das dívidas da cooperativa, estimadas em R$ 270 milhões, devem ser formulados os termos de uma ação cautelar assegurando que a soja armazenada na Cotrijuí pertence ao produtor.
    – A ação cautelar é uma possibilidade para dar segurança jurídica ao produtor. O encaminhamento ao Judiciário deve ser feito por alguma entidade do setor – diz o presidentes da Cotrijuí, Vanderlei Fragoso.
    De acordo com o presidente da Organização das Cooperativas do Estado (Ocergs), Vergilio Perius, os ganhos anuais da Cotrijuí são tranquilizadores:
    – No comparativo com o faturamento de R$ 1,2 bilhão, a dívida não é tão alta. Para chegar à insolvência ainda falta muito.
    O pagamento aos produtores também foi tema da reunião, ontem, entre os presidentes da Cotrijuí e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado, Elton Weber, que confia em uma solução.
    Hoje, o atraso nos pagamentos dos funcionários será abordado em protesto em frente à cooperativa, a partir das 7h30min. O Sindicato dos Empregados do Comércio de Ijuí cobra posição sobre atrasos referentes a pagamentos de janeiro e fevereiro deste ano, em valor próximo de R$ 1,13 milhão.

  • Dia de campo em Viamão

    Os produtores interessados em saber mais sobre o setor de carne podem participar do dia de campo promovido pela Fepagro e pela UFRGS, em Viamão, nesta sexta. O encontro abordará o uso de sistema de alimentação diferenciado em cordeiros terminados em pastagem de verão.
    Conforme a Fepagro, a produção de cordeiros na temporada de outono é importante para a regularização da oferta do produto. A atividade terá a participação de pesquisadores do Chile e México, que debaterão nutrição e controle de verminoses. A entrada é franca.

  • Serviço

    – Quando: sexta-feira
    – Horário: 9h às 17h
    – Onde: Centro de Pesquisas de Viamão Fepagro-UFRGS (Estrada Gentil Machado Godoy, 3.825, 1º distrito, Águas Belas, Viamão)
    – Informações: (51) 3288-8000

  • Mais carne no prato do brasileiro

    Um estudo do Ministério da Agricultura estima o aumento da produção de carne destinada para consumo interno. No período 2022/2023, a produção de carne de frango deverá atingir 23,7 milhões de toneladas, sendo 59% do total destinado ao prato do brasileiro. A alta também deve ser registrada nos mercados de carne bovina e suína, com aumentos de 61,5% e 56,2%, respectivamente, na produção nos próximos 10 anos.

  • Bom Gosto encerra operação no Norte

    A LBR Lácteos Brasil, responsável pela produção do leite Bom Gosto, anunciou o encerramento das atividades da unidade de Gaurama, no norte do Estado. O número de funcionários desligados não foi informado. A empresa também comunicou ontem a redução da produção na unidade de Fazenda Vila Nova, no Vale do Taquari, e a demissão de 84 pessoas. Além de Gaurama, a unidade de São José dos Cedros (SC) também teve as operações encerradas. Segundo a empresa, as estações passarão a funcionar como postos de resfriamento, que enviarão leite cru para outras unidades.
    A LBR está em processo de recuperação judicial desde o início do ano. As demissões pegaram de surpresa o presidente o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Estrela e região. Os funcionários foram avisados de que receberão os valores referentes ao aviso prévio, multa de 40% do FGTS e seguro-desemprego e de que o restante da rescisão deverá ser pago em seis vezes.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *