Indústrias estimam queda das exportações de soja em 2019

A forte demanda da China pela soja produzida no Brasil levou a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) a novamente elevar sua estimativa para os exportações do grão em 2018.

Segundo projeções divulgadas ontem, a entidade passou a calcular essas exportações em 77 milhões de toneladas, 900 mil toneladas a mais que o previsto em setembro e volume recorde, 13% superior ao registrado em 2017.

Mesmo com a elevação, a Abiove manteve a projeção dos estoques finais em 1,5 milhão de toneladas. Ao fim da safra 2016/17, os estoques finais somaram 5,3 milhões de toneladas, de acordo com a entidade.

Para a produção de soja do ciclo 2017/18, a Abiove elevou a estimativa em 700 mil toneladas, para 119,5 milhões de toneladas.

Com a correção efetuada no volume de exportações, a Abiove passou a prever a receita com os embarques em 2018 em US$ 30,8 bilhões, um novo recorde e 19,8% superior ao valor obtido no ano passado. Na estimativa do mês passado, a Abiove previa US$ 30,4 bilhões.

Somando-se farelo e óleo, a Abiove passou a estimar a receita de exportação de todo o "complexo soja" (grão, farelo e óleo) em US$ 38,313 bilhões neste ano, aumento de 20,8% em relação a 2017 e também um novo recorde histórico.

Para a produção do ciclo 2018/19, que está sendo semeada, a Abiove projeta 119,5 milhões de toneladas de soja, com 71,9 milhões de toneladas exportadas. A receita com as exportações de soja em 2019 devem chegar em US$ 27,3 bilhões. O "complexo soja" deve gerar US$ 33,7 bilhões, projeta.

Fonte: Valor | Por Kauanna Navarro | De São Paulo