Indústrias comemoram fim de embargo ucraniano

Retomada das vendas pode ocorrer na segunda quinzena de julho

Nestor Tipa Júnior

Três meses após fechar as portas para a carne suína brasileira por encontrar a bactéria listeria, a Ucrânia reabriu o mercado para seis frigoríficos do Brasil, sendo cinco exportadores de carne suína. São três no Rio Grande do Sul: JBS, de Lajeado, Alibem, de Santa Rosa, e Seara, de Frederico Westphalen. A Aurora, localizada em Chapecó, e a BRF Brasil Foods, de Campo Novo, ambas em Santa Catarina, também foram liberadas. O sexto é um frigorífico é de peixe fresco congelado da Leardini Pescados, de Navegantes, em Santa Catarina.
O comunicado oficial foi feito pelo Ministério da Agricultura para a Associação Brasileira das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Carne Suína (Abipecs). Conforme a entidade, a Ucrânia tem sido um dos principais compradores da carne suína brasileira. Antes da restrição, as exportações para aquele país tinham crescido 11% em relação ao mesmo mês de 2012. O Brasil embarcou para o mercado ucraniano, em fevereiro deste ano, 8,77 mil toneladas. Este número foi zerado em maio, o que contribuiu para a queda de 18% nas exportações brasileiras de carne suína no mês. No acumulado do ano, o fechamento do mercado ucraniano levou a uma retração de 53% nos embarques para aquele país.
Conforme o presidente da Abipecs, Rui Vargas, outras seis plantas frigoríficas devem ser liberadas a retornar os embarques ainda no mês de julho. Para o dirigente, o anúncio é um alento para a recuperação do mercado de suínos do Brasil. “É um marco para nossa retomada em 2013. Com a suspensão temporária da Ucrânia, tivemos uma redução muito forte nas nossas exportações”, ressalta. Vargas acredita que as empresas estão preparadas para retomar o envio de carne suína para a Ucrânia a partir da segunda quinzena de julho. “Temos alguns dias de produção neste mês, temos condições de juntar o volume necessário para os embarques”, salienta o presidente da Abipecs.
Mesmo com a barreira imposta pelos ucranianos, o país do Leste europeu manteve o terceiro lugar no ranking dos importadores da carne suína brasileira neste ano, perdendo apenas para Rússia e Hong Kong. De janeiro a maio, foram enviadas 25,1 mil toneladas do produto para a Ucrânia, gerando uma receita de US$ 72,69 mil. Em todo o ano de 2012, os ucranianos foram os primeiros em volume de exportações do Brasil, com 138,66 mil toneladas, mas ficaram em segundo lugar em receita, com US$ 358,89 mil, perdendo apenas para os russos.
A expectativa agora fica por conta da missão russa que vem ao País em julho para inspecionar plantas do Rio Grande do Sul, do Paraná e do Mato Grosso. Segundo Vargas, a tendência é que a visita ocorra entre 1 e 15 de julho, mas não há confirmação oficial desta data. A previsão da Abipecs é de que, com a vinda dos russos, o mercado seja reaberto para estes estados após dois anos de bloqueio.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *