Indústria de máquinas agrícolas cresce 13% em 2012

Setor está otimista e projeta expansão de 10% a 15% para 2013

por Globo Rural On-line

Paulo Varella

A redução nas taxas de juro até o fim do ano também colabora para manter aquecidos os negócios na área de máquinas e implementos agrícolas (Foto: Paulo Varella/Ed. Globo)

A indústria brasileira de máquinas e implementos agrícolas fechou 2012 com uma receita bruta de R$ 11,2 bilhões, o que representa um crescimento de 13% sobre o desempenho do ano anterior. O resultado é a consolidação dos dados divulgados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Os números fechados do ano passado foram divulgados junto com os de janeiro deste ano, quando foi registrado um faturamento de R$ 715 milhões, apontando um crescimento de 4,3% em relação a janeiro de 2012.
Para este ano, as projeções dos empresários ligados àCâmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA) também são otimistas. Estima-se um crescimento de 10% a 15%. O clima positivo se baseia nas perspectivas do agronegócio para 2013. Além disso, segundo a indústria, a redução nas taxas de juro do Finame PSI, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) até o fim do ano também colabora para manter aquecidos os negócios na área de máquinas e implementos agrícolas. "A medida não soluciona todos os problema de competitividade do setor, mas sinaliza o comprometimento do governo com a criação das condições mínimas que possam contribuir para incentivar a mecanização no setor, além de propiciar a renovação da frota nacional”, diz Celso Casale, presidente da CSMIA.
Ele enfatiza que tão importante quanto a instituição de instrumentos de crédito é a sua permanência. Analisando os dados fechado de 2012, Casale chama a atenção para o declínio das exportações, simultaneamente ao aumento das importações do setor. Pelos dados consolidados de 2012, houve um crescimento acumulado nas importações de 22,9%, com a entrada de máquinas e implementos agrícolas de países como Estados Unidos, Itália, França e Coreia, enquanto as exportações recuaram 12,1%.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *