Indústria avícola atrasa pagamentos

 Integrados reclamam fornecimento de ração para aves<br /><b>Crédito: </b>  MAURO SCHAEFER / CP MEMÓRIA

Integrados reclamam fornecimento de ração para aves
Crédito: MAURO SCHAEFER / CP MEMÓRIA

Integrados de aves no Estado e em Santa Catarina estão há 120 dias sem receber pelos lotes entregues. O problema na Diplomata, de Cascavel (PR), pode envolver outras empresas. A alta no custo de produção, puxada pela escalada dos preços do milho e do farelo de soja, teria agravado as dificuldades financeiras das indústrias do setor. De acordo com o diretor-executivo da Asgav, Eduardo dos Santos, o excesso de oferta é outro empecilho. "Se não houver medidas efetivas do governo, o quadro se agravará."
Em julho, a Diplomata suspendeu atividades nas plantas de Londrina e Mandirituba, ambas no Paraná, demitindo 900 funcionários. Hoje, em Chapecó (SC), uma reunião entre integrados dos estados e Fetraf-Sul traça estratégias de ação. Ainda não há definição quanto ao pagamento ou redução de alojamentos, informou a empresa. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alpestre, Valdemar Scalvi, também há falha no fornecimento de ração e pintos de um dia. O frango produzido no RS é abatido em Xaxim (SC).
O presidente da Fetag, Elton Weber, está preocupado, já que Minuano, em Lajeado, e Nicolini, com plantas em Garibaldi e Nova Araçá, também estariam atrasando pagamentos. O diretor da Nicolini Pedro Carrer informou que a empresa começou a estruturar integração neste mês, após o rompimento de contrato pela Minuano, que fornecia aproximadamente 160 mil aves/dia. "Se houve atraso, a responsabilidade não é nossa." Procurada, a Minuano não retornou os contatos da reportagem.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *