Indefinição sobre mudanças no PEP

Fonte: Correio do Povo

 Farias aguarda posicionamento de Brasília sobre ajuste<br /><b>Crédito: </b>  alexandre mendez / cp memória
Farias aguarda posicionamento de Brasília sobre ajuste
Crédito: alexandre mendez / cp memória

Passados 20 dias da constatação do Ministério Público Federal de Uruguaiana da necessidade de abertura de inquérito para investigação de fraude em operações do Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) de arroz e de denúncias sobre operações similares com trigo, a Companhia Nacional de Abastecimento ainda não tomou nenhuma medida para diminuir a margem de ação dos que usam indevidamente o mecanismo subsidiado com dinheiro público. Só no caso do trigo, o prejuízo é calculado em R$ 344 mil aos cofres da União. Com a verba, o Ministério da Integração pode construir, por exemplo, 172 cisternas de 16 mil litros cada para abastecimento familiar no campo.
Quando as denúncias surgiram, o Setor de Fiscalização da Conab em Brasília solicitou informações e disse que estudaria ajustes no programa, que segue operando normalmente em todo o país. O superintendente regional da Conab/RS, Carlos Farias, repassou os dados e aguarda orientações sobre como proceder. Em Brasília, o setor responsável informou que ainda analisa possibilidades e não há prazo para definições. Pelas regras atuais, a única fiscalização da Conab sobre as operações é baseada em documentos fornecidos pelas partes envolvidas, o produtor e os cerealistas ou indústria de beneficiamento, o que abre brecha para irregularidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *