Indefinição cerca Código Florestal

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, afirmou, ontem, que o veto total ao Novo Código Florestal só ocorrerá se for "absolutamente necessário", no caso de o texto estar recortado a ponto de não poder ser aproveitado. Ela acredita que a presidente Dilma Rousseff deve tomar uma decisão ainda hoje. Já a assessoria da Presidência informa que o prazo do dia 25 deve ser cumprido. A movimentação no Planalto é intensa nos últimos dias, com ministros e representantes da Embrapa e da Agência Nacional de Águas se revezando em reuniões, que ontem ocorreram durante todo o dia.
Vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, o deputado Luis Carlos Heinze, aposta que Dilma não cederá às pressões de ambientalistas pelo seu histórico. Como ministra da Casa Civil, por exemplo, defendeu obras como a Usina Belo Monte. Segundo ele, a expectativa é que Dilma se antecipe, editando medida provisória, que estabelece faixa a partir de 5 metros, e não mais 15 metros, para recuperação de vegetação às margens de rios com até 10 metros de largura. O projeto sobre o tema, apoiado por 13 partidos na Câmara, está no Planalto. "Ela conhece o Estado e sabe quem vai desalojar." Já o deputado Elvino Bohn Gass acredita em veto parcial, com recomposição diferenciada para a agricultura familiar. "Nem o extremo do ambientalismo nem do ruralismo."

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *