Incremento na produtividade aumenta expectativa de safra de milho em Mato Grosso

Safra que está sendo colhida pode alcançar 18,72 milhões de toneladas, a maior da história no Estado

Eran Chesnutt/SXC

Foto: Eran Chesnutt/SXC

Safra que está sendo colhida mostra que a produção superou todas as expectativas em Mato Grosso

O último levantamento realizado pelo Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea) sobre a safra de milho que está sendo colhida mostra que a produção, que já era a maior da história de Mato Grosso, superou todas as expectativas, com a previsão de 18,72 milhões de toneladas. Com a manutenção da área de 3,01 milhões de hectares, o grande impulsor do incremento foi a produtividade, que deve ser de 103 saca/hectare (sc/ha).

Como o clima foi muito bom na maioria das regiões, aliado ao uso de alta tecnologia nas lavouras, o milho respondeu com grande produtividade. O Médio-Norte de Mato Grosso deve fechar sua produtividade maior que a do ano passado, em 107 sc/ha. Já o nordeste do Estado deve ter queda em relação ao ano passado, com 94 sc/ha. A produção deve ser 20% maior que a do ano passado e 120% mais elevada que a de cinco anos atrás.

A maior produção vem do Médio-Norte, que deve produzir 10,26 milhões de toneladas, 55% do total do Estado. A região Sudeste fica em segundo lugar, com 3,3 milhões de toneladas e uma participação de 18,1%. Os novos dados ressaltam ainda mais a grande necessidade das intervenções do governo com os leilões de Pepro, para facilitar o escoamento do cereal.

Mercado

No mês de agosto, as quedas no preço do milho em Mato Grosso continuaram. Já na reta final da sua colheita e com o constante aumento da sua produção, o preço do cereal caiu 2,0% neste início do mês. Porém, na última semana, o preço do milho teve uma pequena reação e encerrou a R$ 10,32/sc. Este aumento pode ser explicado como uma reação ao leilão do governo, agendado para terça, dia 13, e pelo aumento na Bolsa de Chicago. Em Canarana, o preço do milho fechou em R$ 10,50/sc, com a colheita avançando para 80% no município. Em Tangará da Serra, o cereal encerrou cotado a R$ 9,50/sc e em Sorriso a R$ 9,37/sc. O mercado está muito parado, com pouco volume comercializado, à espera do leilão.

Na exportações, o preço médio da tonelada do milho mato-grossense, nos primeiros sete meses de 2013, foi US$ 274,22/toneladas, com o dólar cotado a R$ 2,07, representando R$ 567,09/toneladas. Comparado ao mesmo período de 2012, em que o preço médio da tonelada do cereal era US$ 246,67/t, sendo R$ 465,72/t, com o dólar à R$ 1,888, registrou um aumento de 11,17% neste ano.

Essa disparidade entre as variações nas receitas em dólar e real pode ser explicada pelo aumento de 9,53% na taxa de câmbio este ano, que amenizou a desvalorização do cereal no mercado externo, resultante de uma expectativa de elevação da sua oferta. Em junho deste ano, o preço da tonelada do milho, tanto em dólares como em reais, apresentou sua maior baixa do ano, 11,9% de queda da receita em dólares e 6% em reais. Já o mês de julho apresentou a maior receita do ano, com elevação de 7,17% em dólares e 11,61% em reais.

Leia também:

>>USDA reduz estimativas de safra para soja e milho

>>Problema logístico em Mato Grosso aumenta frete em até R$ 2,4 bilhões

IMEA

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *