Há chance de ‘disparidade’ no mercado de açúcar e etanol, diz estudo

Safra 2014/2015 tem cenário apenas de "crescimento modesto"

por Estadão Conteúdo

 Shutterstock

Pesquisa mostra que, a curto prazdo, o quadro na produção de cana no Brasil é favorável para a destinação ao etanol

A Organização Internacional do Açúcar (OIA) avaliou nesta quarta-feira (22/5), em estudo sobre o mercado de açúcar e etanol no Brasil, que, por causa do aumento dos custos e queda dos preços, há chance de "disparidade" entre receita e despesa. Por causa disso, a safra 2014/2015 tem apenas cenário de "crescimento modesto" para a produção de etanol no Brasil, analisou a OIA. "A rápida queda dos preços globais e domésticos do açúcar desde 2012 tende a aumentar a destinação da safra de cana a favor do etanol na safra 2013-2014", destaca o estudo, acrescentando que, em abril, o preço do açúcar era menor que o de etanol no mercado brasileiro, o que não era visto desde abril de 2011.
A pesquisa mostra que, no curto prazo, o quadro parece positivo para o combustível renovável. "Teoricamente, isso deveria beneficiar a produção de etanol, que deve crescer em 2013 a partir do baixo patamar em torno de 23 bilhões de litros registrado em 2011 e 2012", diz o estudo. "No entanto, embora a oferta de cana pareça abundante este ano, há uma preocupação crescente com uma potencial disparidade entre os preços de mercado em queda – especialmente para o açúcar, mas também para o etanol – e a escalada nos custos de produção da cana", diz o estudo.
O documento lembra ainda que, entre as várias medidas tomadas pelo governo brasileiro para o setor neste ano, "só o aumento da mistura do etanol à gasolina tem impacto no aumento da demanda". As demais ações não terão impacto direto. Por isso, avalia a organização, "a perspectiva atual para a safra 2014-2015 aponta apenas para um modesto crescimento na produção de etanol".

Fonte: Globo Rural

Compartilhe!