Água baixa restringe a geração

A seca que atinge o Estado e também Santa Catarina reduziu a 30,3% a capacidade dos reservatórios de usinas hidrelétricas do sul do país. O índice é o menor em 12 anos. Para manter o abastecimento de energia, o Operador Nacional do Sistema (ONS) utiliza a geração de usinas no Norte, Nordeste e Sudeste.
A situação mais grave é a da usina Machadinho, na divisa com Santa Catarina, entre Maximiliano de Almeida e Piratuba (SC). A hidrelétrica está com apenas 7% de volume útil de água em seu reservatório. Desde o dia 5 de abril, a produção está paralisada e não há previsão do retorno.
As usinas de Itá, na divisa entre Aratiba e Itá (SC), e Passo Fundo, em Entre Rios do Sul, no norte do Estado, também estão com o nível dos reservatórios baixos.
– Em Itá, estamos com apenas 12% do nosso volume útil. Se não houver normalização da chuva e recuperação do nível, também há risco de parada – explica Elinton Chiaradia, responsável pelo gerenciamento das três usinas.
A usina Foz do Chapecó, que já sofreu com outras paradas, ficou três dias sem gerar energia na última semana e oscila a produção de acordo com o volume de água.
Responsável por gerar 34,5% da energia produzida no Rio Grande do Sul, a CEEE monitora a situação. O reservatório de Passo Real, no Rio Jacuí, que regula a operação em três hidrelétricas, está 10,4 metros abaixo do normal. Apesar da interrupção na geração, não há risco de falta de energia.

Fonte: Zero Hora roberto.witter@zerohora.com.br ROBERTO WITTER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *