GRÃOS | Torcendo pelo tempo firme e seco

Da área de 740 hectares que costuma destinar ao arroz, o agricultor Luis Ricardo Silveira dos Santos, de Viamão, não conseguiu plantar sequer a metade até agora. Neste período, o normal seria ter 90% da área pronta.
– Plantar fora da época indicada leva a uma queda de produtividade de 10% a 15%. Se faltar luminosidade, mais ainda. Pelo menos, não precisei raplantar nada – afirma Santos, que teme fechar as contas no vermelho.
Como a lavoura de Santos fica em uma área à margem da Lagoa dos Patos, uma porção de até cem hectares, suscetível a cheias, pode até ser deixada para trás. Para voltar a ligar as máquinas, além de parar de chover são necesários de quatro a cinco dias de tempo firme, algo raro na primavera deste ano.
O risco de baixa luminosidade no verão, entretanto, é menor, diz o meteorologista Flavio Varone, da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro). Embora a expectativa continue de chuva acima da média, o histórico não indica a continuidade de grande número de dias nublados.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *