Grãos têm forte volatilidade em Chicago

Após as fortes valorizações registradas na segunda-feira na bolsa de Chicago, motivadas por um clima mais quente e seco que o esperado em áreas do Meio-Oeste americano, as cotações dos grãos devolveram parte dos ganhos na sessão de ontem. As quedas foram influenciadas por realizações de lucros e por novos relatos de produtividades acima da média em lavouras de milho e soja dos EUA.

No mercado de milho, os contratos com vencimento em dezembro (que ocupam a segunda posição de entrega, normalmente a de maior liquidez) fecharam a US$ 4,7550 por bushel (medida equivalente a 25,2 quilos), em queda de 10 centavos de dólar. No caso da soja, os papéis para entrega em novembro (segunda posição) caíram 12,75 centavos de dólar, para US$ 12,9050 por bushel (27,2 quilos).

Nesta fase de desenvolvimento das lavouras americanas – a safra atual no país é a 2013/14 e a colheita ganhará força nas próximas semanas -, a alta volatilidade é comum, pois reflete as variações climáticas nos polos de produção dos EUA.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3240784/graos-tem-forte-volatilidade-em-chicago#ixzz2cbdP0tGe

Fonte: Valor | Por Gerson Freitas Jr. | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *