GRÃOS | Preço reduzido do adubo estimula o início das compras

Depois de elevação de 20% nos custos da temporada atual, produtores tentam aproveitar declínio nas cotações dos fertilizantes e antecipam investimento. Com o plantio da soja pela metade, há regiões adiantando as compras de adubo para 2014/15.
Os três insumos básicos que copõem os fertilizantes (nitrogênio, fósforo e potássio) tiveram redução entre 16% e 35% na comparação com as cotações de um ano atrás, aponta o economista João Marcelo Santucci, da INTL FC Stone. A safra 2013/14 registrou aumento de cerca de 20% nos custos, que agora poderão recuar.
– Toda nossa matriz (de fertilizantes) é basicamente importada. A gente absorve os preços praticados no mercado internacional – observa.
Dois fatores provocaram as reduções nos preços. Um encurtamento da janela de aplicação de fosfatados e nitrogenados na última safra dos Estados Unidos – devido a fatores climáticos – acumulou produto no mercado global, aponta Santucci. No caso do potássio, a dissolução de uma joint venture ligada à BPC (Belarusian Potash Company) ampliou a concorrência no mercado internacional, reduzindo os preços, explica. Em relação aos nitrogenados (menos importantes para a soja), a tendência de queda nos preços perde força, com aumento na demanda na Índia. Mas em relação ao potássio e ao fosfato, o quadro ainda é de sobreoferta, diz o especialista.
– Dificilmente, no caso do potássio e do fosfato, isso se reverterá antes do primeiro trimestre de 2014.
A antecipação das compras está ligada a uma conta que compara o preço da soja com o da saca de adubo, explica Santucci:
– Normalmente, um saca de adubo vale mais que uma saca de soja, numa relação de até 1/1,2. Agora, estamos com uma relação de 1/0,7.
Isso significa que o adubo vale 70% do preço da soja, apesar de a desvalorização internacional ainda não ter sido totalmente absorvida.

Multimídia

 

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *