GRÃOS | Migrando com a produção

Apesar do crescimento dos investimentos na Metade Sul, a maior capacidade de armazenagem ainda está concentrada no Noroeste – onde é produzida quase 50% da safra gaúcha de grãos. Foi dessa região que empresas como Camera e a Cooperativa Mista Agrícola General Osório (Cotribá) migraram para se expandir na nova fronteira agrícola. Com sede em Ibirubá, a Cotribá trilhou o mesmo caminho dos produtores do Norte, que buscaram os campos do Sul para ampliar a produção agrícola.
– Fomos por solicitação dos associados, que migraram e precisavam de assistência e unidades mais próximas para entregar os grãos – explica João Henrich, gerente de insumos da cooperativa, que foi criada em 1911.
Os primeiros investimentos, em meados dos anos 2000, foram feitos em cidades como Encruzilhada, Cachoeira do Sul e Santa Margarida do Sul.
Mais recentemente, há dois anos, a expansão ocorreu no extremo sul, para atender à crescente produção em Arroio Grande e Jaguarão. Com capacidade para 100 mil sacas de soja, a unidade de Arroio Grande será duplicada para a próxima safra.
Fundada há mais de 40 anos em Santa Rosa, a Camera também seguiu a rota de migração dos produtores. Na unidade instalada em São Gabriel, há três anos, a cerealista estima receber 350 mil toneladas de soja até o final da safra. Com 50 unidades de recebimento e beneficiamento do grão no Estado, a Camera concentrou os investimentos especialmente em municípios onde os produtores se capitalizaram na cultura da soja nos últimos anos.
– Mesmo assim, as unidades não conseguem atender a demanda das nossas unidades de esmagamento de soja – ressaltou Evandro Pertile, gerente comercial da Camera em São Gabriel.

MULTIMÍDIA

 

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *