GRÃOS | Cooperativas afirmam não haver riscos

Apesar de reconhecer os passivos com produtores rurais acumulados em anos anteriores, Cotrijui e Cotrimaio garantem que não há risco em depositar a safra de grãos em seus armazéns. Em processo de liquidação extrajudicial com continuidade dos negócios há um ano, a Cotrimaio adotou a política intitulada Grão Paga Grão.
– O produtor deposita a safra, fixa o preço quando quiser e recebe no momento em que os grãos são vendidos – garante o presidente da cooperativa, Silceu Dalberto, acrescentando que a safra de milho está sendo entregue nesta modalidade de negócio.
Com débitos de cerca de R$ 200 milhões, e faturamento anual de R$ 280 milhões, a cooperativa está buscando um modelo de sociedade anônima para firmar parcerias com investidores e sanar as dívidas.
– Queremos dar segurança aos produtores – completa Dalberto.
Na Cotrijui, a intenção é saldar débitos com produtores por meio de um fundo reserva instituído neste ano. Pelo acordo, 30% do lucro líquido anual das unidades que trabalham com grãos serão destinados para quitar passivos represados desde 2012. Mesmo após ter amortizado R$ 30 milhões, a cooperativa ainda acumula dívida de R$ 170 milhões com produtores, conforme o presidente Vanderlei Fragoso. Outra garantia oferecida é o modelo de armazéns gerais, que garante a propriedade dos grãos aos agricultores. Segundo a Cotrijui, na safra de trigo do ano passado os pagamentos foram antecipados.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *