GRÃOS | Camera diz ter operação normal

Uma das principais cerealistas do Estado, com 40 unidades de recebimento e capacidade para armazenar 1,1 milhão de toneladas, a Camera atribui o receio de produtores a uma onda de boatos surgida no mercado ainda em setembro do ano passado.
– Esse boato nos prejudicou muito na época. Houve uma corrida em busca da liquidação dos grãos armazenados em nossas unidades. Tínhamos um fluxo de caixa programado, que acabou sendo alterado por isso – argumenta Junior de Almeida, gerente comercial da área de grãos da Camera.
Conforme o gerente comercial, a movimentação dos produtores fez com que a Camera tivesse de parcelar o pagamento da venda dos grãos.
– Nossa operação está normalizada e pronta para receber uma das maiores safras da história – garante Almeida, acrescentando que a situação da empresa não se assemelha à de cerealistas e cooperativas em dificuldades financeiras.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *