Grito da Terra tem poucos avanços

O Grito da Terra terminou ontem em Brasília com promessas e a sensação de que as conquistas não atingiram o fôlego esperado. ‘Apesar de positivas, não foram concretas em profundidade como as do ano passado’, avaliou o presidente da Fetag, Elton Weber.

Segundo o presidente da Contag, Alberto Broch, em reunião realizada ontem com integrantes dos ministérios da Agricultura, Desenvolvimento Agrário, Trabalho e Pesca, o governo comprometeu-se a aumentar os recursos e os tetos de custeio e investimento para o Plano Safra, que, espera-se, fique entre R$ 22 bilhões e R$ 24 bilhões. O governo também se comprometeu a realizar vistorias diárias com fim de reforma agrária e regularizar assentamentos. Na área da educação, foi anunciado concurso para contratação de 450 professores para a zona rural em todo o Brasil. O governo ainda prometeu ampliar o Programa de Habitação Rural, criar conselho nacional de assalariados rurais e tentar agilizar a liberação dos registros sindicais. Ainda foi assinado um convênio com o Ministério da Pesca para incluir a agricultura familiar na criação de peixes.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!