Greve continua, diz representante dos servidores do Incra

Segundo Reginaldo Marcos Aguiar, proposta do Ministério do Planejamento não é suficiente para atender às necessidades da categoria

 Marcello Casal Jr./ABr

Foto: Marcello Casal Jr./ABr

31 categorias aceitaram proposta do Ministério do Planejamento e encerraram a greve

Cerca de 31 categorias de servidores federais em greve já aceitaram a proposta de 15,8%, parcelados em três anos, do Ministério do Planejamento e devem retomar as atividades nos próximos dias. No entanto, cinco, dentre elas a dos servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), rejeitaram o valor e decidiram manter a greve.

Em entrevista ao Rural Notícias, programa exibido pelo Canal Rural, o diretor da Confederação Nacional dos Servidores do INCRA, Reginaldo Marcos Aguiar, explicou que o valor oferecido pelo governo à categoria foi um pouco superior ao dos demais servidores em greve, mas ainda insuficiente para atender às necessidades do setor. Segundo ele, devido ao baixo salário dos trabalhadores, principalmente daqueles ainda em início de carreira, o ajuste faria uma diferença muito pequena, o que inviabilizou o acordo com o ministério.

Na opinião do representante, as condições oferecidas pelo governo somente beneficiariam os servidores já no fim de carreira e que possuíssem nível superior, exigências que não fazem parte da realidade da maior parte do quadro de funcionários do órgão.

Aguiar falou também sobre o corte de R$ 1 bilhão em receita previsto para este ano no Incra. Segundo ele, o valor corresponde a 25% do orçamento e inviabiliza a realização de boa parte das atividades realizadas pela entidade.

O representante reiterou a continuidade da paralisação e disse que das 28 superintendências em greve, 24 decidiram manter a situação até esta sexta, dia 31, quando a proposta deve ser incorporada ao projeto do Orçamento de 2013.
Assista à entrevista na íntegra:

RURALBR COM INFORMAÇÕES DO CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *