Greve afeta inspeção de produtos

Embora dos 14 postos de fronteira do Ministério da Agricultura (Mapa) no Estado apenas um, o de Uruguaiana, não tenha aderido à greve dos fiscais agropecuários, os reflexos no primeiro dia de paralisação foram modestos. Conforme a direção técnica do Mapa no Estado, a inspeção de perecíveis se mantém e, apesar das cargas paradas em alguns municípios, não houve registro de danos mais graves.
Os serviços de importação de alimentos e insumos que necessitam de inspeção devem ser os principais atingidos, já que a greve é por tempo indeterminado. Dos 280 fiscais agropecuários federais, 272 estão parados. Na maior parte dos postos, 30% dos serviços estão mantidos. Um dos pontos com mais caminhões parados ontem foi São Borja, com 70 veículos no pátio, em função também da greve dos caminhoneiros, encerrada recentemente. Em Aceguá e Jaguarão, dois postos paralisaram por completo, com 20 caminhões aguardando tramites de importação até ontem à tarde. No aeroporto Salgado Filho, nenhuma carga foi vistoriada. No restante dos locais, o delegado do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários João Becker, informou que o levantamento sobre cargas paradas será divulgado hoje.
Os fiscais tentam negociar com o Ministério do Planejamento demandas como reposição salarial de 22,08%, realização de concursos e criação de uma escola de formação de fiscalização agropecuária.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *