Governo federal vai investir R$ 100 milhões na alimentação de rebanhos e geração de renda para produtores do Semiárido

A estratégia, desenvolvida em parceria com a Embrapa, vai fomentar a produção de palma forrageira e mudas de mandioca

Valter Campanato/ABr

Foto: Valter Campanato/ABr

Investimento deve garantir alimentação aos rebanhos e ajudar na recomposição de renda dos produtores

O Ministério da Integração Nacional, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), está desenvolvendo programas de fomento à produção de palma forrageira e de mudas de mandioca para garantir alimentação aos rebanhos e ajudar na recomposição de renda dos produtores do Semiárido. O investimento total previsto é de R$ 100 milhões até 2014. Desses, R$ 30 milhões serão aplicados ainda este ano. Os programas serão executados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).
A ideia é estabelecer uma rede de multiplicação e distribuição de mudas de mandioca – as chamadas manivas – e de palma forrageira, com qualidade genética e fitossanitária, para agricultores familiares do Nordeste. O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, diz que todo o esforço do governo é para garantir que a maior estiagem dos últimos 50 anos não comprometa o desenvolvimento da região.
– Por isso, não bastam ações emergenciais. Estamos trabalhando para assegurar uma nova perspectiva em relação ao futuro – disse o ministro.
Como a farinha de mandioca é um item importante da alimentação do sertanejo, o cultivo das manivas também contribui para movimentar a economia local. Ao distribuir essas mudas, a intenção é ajudar na recomposição da renda dos agricultores da região, após as perdas em decorrência da seca prolongada.
Outro problema estrutural que está sendo enfrentado é o da alimentação dos rebanhos. Para tanto, o Ministério da Integração Nacional vai investir na produção da folha de palma. A ideia é criar uma reserva estratégica do alimento para assegurar a sobrevivência dos animais, mesmo nos períodos mais críticos. Por suas características nutricionais, a palma forrageira é uma excelente fonte de alimentação animal. Além disso, trata-se de uma planta resistente a longos períodos de ausência de chuvas e que apresenta alta capacidade de produção por hectare.

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *