Governo federal deve adotar Plano Safra plurianual

Fonte:  Canal Rural | ZERO HORA

Objetivo é atuar como empresa, com planos de gestão e foco em resultados e metas, a partir do segundo semestre

Em visita a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, criticou a atual operação do Plano Safra e propôs visão de longo prazo. Vaz afirmou que o governo deverá atuar como empresa, com planos de gestão e foco em resultados e metas, a partir deste segundo semestre.

Para isso, capacidade gerencial, assistência técnica eficiente e objetivos claros de resultados são os desafios que o governo federal pretende consolidar no setor agrícola do país em cinco anos. Segundo Vaz, desburocratizar o acesso ao crédito rural, disponibilizar mais recursos para o seguro agrícola e garantir uma renda mínima ao produtor são as prioridades do Plano Safra para 2011.

– O Plano Safra, que é elaborado anualmente, é um atraso operacional. Precisamos de uma política de cinco anos com alguns ajustes anuais, e caberá a cada Estado a implantação. Somos uma empresa e não podemos ter vícios do governo e nem do passado – criticou Vaz.

Para o secretário, os recursos disponibilizados pelo governo são suficientes, mas precisam de maior eficiência e investimento na melhoria da gestão.

Lideranças do governo do Rio Grande do Sul e de entidades ligadas ao setor reagiram com satisfação. O secretário de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo do RS, Ivar Pavan, disse que a assistência técnica dada ao produtor rural em investimento tecnológico ainda é muito deficiente, mas vê melhores perspectivas com a nova visão do governo federal.
O caminho

Implementações a partir deste semestre:
– Crédito rural: exigir menos documentação do agricultor
– Seguro: regulamentação do Fundo Catástrofe e maior disponibilidade de recursos orçamentários
– Renda: sair do preço mínimo para renda mínima. Fazer uma média de renda do produtor em cinco anos e, a partir daí, fazer a média e uma projeção de liquidez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *