Governo anuncia verba para o arroz

Serão liberados R$ 737 milhões para escoar 2,02 milhões de toneladas

 Mecanismos foram anunciados pelo ministro Mendes Ribeiro Filho<br /><b>Crédito: </b>  marcelo casal jr / divulgação / cp

Mecanismos foram anunciados pelo ministro Mendes Ribeiro Filho
Crédito: marcelo casal jr / divulgação / cp

O governo federal anunciou ontem a liberação de R$ 737 milhões para a safra 2011/2012 de arroz, que deve alcançar 11,2 milhões de toneladas no país. Segundo o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, entre abril e julho, será possível escoar 2,02 milhões de toneladas com os R$ 211 milhões garantidos para AGF (320 mil t), R$ 406 milhões para Contrato de Opção (700 mil t) e R$ 120 milhões para PEP/Pepro (1 milhão de t). Mesmo que o aporte tenha ficado R$ 1 bilhão abaixo do valor solicitado pelo setor ainda em 2011, os arrozeiros comemoraram o pacote, que, ao contrário do ano passado, veio com antecedência. No ciclo anterior, boa parte do R$ 1,1 bilhão foi anunciada no mês de julho.
Com o anúncio, a expectativa do presidente da Federarroz, Renato Rocha, é que o preço da saca (R$ 24,97) estabilize após queda em relação ao pico de R$ 28 em fevereiro. "A condição desta safra é mais tranquila em função da redução de área. Ano passado, tínhamos mecanismos para escoar 3 milhões de toneladas, mas o preço estava abaixo de R$ 20", recordou. Conforme o vice-presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, os recursos vieram em hora certa. "Mas eles têm que chegar ao bolso do produtor", disse, defendendo o combate a fraudes. "Os anúncios não foram espetaculares, mas foram sólidos", avaliou o presidente da Associação dos Arrozeiros de Tapes, Luiz Carlos Chemale.
Outra notícia que animou os arrozeiros foi a de que está próximo de sair do papel a autorização para armazenagem de grãos de estoques públicos por pessoas físicas. Segundo o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Caio Rocha, a Conab já concluiu o estudo técnico sobre o tema, que depende agora do aval da Pasta. "A medida vai ampliar a capacidade de estocagem e dar mais agilidade aos mecanismos." A fiscalização das estruturas nas propriedades será feita por meio de convênio com entidades, como o Irga.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *