Glifosato: problema da oferta será resolvido, mas produtor deve se programar

Segundo Silvia Fagnani, sócia da Think Brasil produtor deve se antecipar para que não haja atraso no recebimento do produto

A falta momentânea de glifosato no mercado brasileiro acendeu o alerta para os produtores brasileiros. Segundo Silvia Fagnani, sócia da Think Brasil Diplomacia Corporativa, um problema logístico vem causando a queda na disponibilidade do produtor.

“Temos um problema a nível global, que é a falta de navios na China, Índia e Estados Unidos. Isso acaba impactando inclusive a exportação brasileira por falta de contêineres. Naturalmente isso afeta a maioria dos insumos agrícolas, como o glifosato, que é o mais utilizado no Brasil”, destaca.

Silva reforça que o glifosato para a safra 2021/22 não vai faltar. No entanto, ela recomenda organização para a compra do insumo.

“Algumas cooperativas têm antecipado suas compras para garantir a disponibilidade do produto e estoque, mas o que podemos dizer é que existe uma tendência de estabilização desse complexo logístico no médio prazo, onde as matérias-primas voltarão a ser disponibilizadas. Como o glifosato vem de diversas origens, a recomendação é que o produtor se antecipe e organize suas compras”.

Por Canal Rural

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *