Georreferenciamento ajuda produtores rurais a realizar Cadastro Ambiental Rural

Serviço não é obrigatório para o CAR e serve somente como referência para delimitação das áreas

Roberta Silveira | Araras (SP)

Rodrigo Rey, Divulgação

Foto: Rodrigo Rey, Divulgação

Na internet, são disponibilizados mapas de todo o Brasil para que os produtores possam fazer os traçados de suas propriedades

Com a regulamentação do Cadastro Ambiental Rural (CAR), os proprietários de imóveis rurais têm um ano para fazer o cadastro, contando a partir desta terça, dia 06. O georreferenciamento das terras não é obrigatório, mas pode ajudar na especificação das áreas de Reserva Legal e Preservação Permanente (APP).
• Instrução normativa traz os detalhes técnicos para o preenchimento do CAR

O tamanho das áreas de preservação obrigatória variam, dependendo da região do país e da vegetação nativa. Em áreas de Mata Atlântica, deve ser de 20% da propriedade rural. É o caso da terra do produtor rural Liberato Fadel, no interior de São Paulo. Há uns meses, técnicos de uma empresa contratada por Fadel estiveram na propriedade e tomaram as coordenadas da localização por satélite. Os dados coletados vão para o computador e com o georreferenciamento é possível ter a planta precisa da propriedade, com as delimitações de Reserva Legal e de APPs. O georreferenciamento só é obrigatório para imóveis a partir de 250 hectares, para a certificação de perímetro do Incra, o que não tem a ver com o CAR.

– Ele é opcional. Você faz o georreferenciamento pra ter uma maior segurança do perímetro que você vai delimitar dentro do CAR e, de repente, não dar uma informação errada ou mesmo de causar algum problema de delimitar as áreas ambientais – explica o diretor ambiental, Márcio Cerri.

Na internet, são disponibilizados mapas de todo o Brasil para que os produtores possam fazer os traçados das propriedades, mesmo sem os dados do georreferenciamento.

– É uma fotografia que ele baixa e salva no seu computador. E com base nesta fotografia tem que fazer uma delimitação manual da sua propriedade – orienta a engenheira agrônoma Michelle Vinhas.
Alguns Estados têm sistema próprio para a realização do Cadastro. Os produtores de São Paulo, por exemplo, já podem transferir as informações do georreferenciamento direto para o CAR. Outros Estados, como Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, estão em fase de implantação de sistemas semelhantes ao modelo paulista. Mas para a maioria dos Estados, o georreferenciamento serve somente como referência para a delimitação das propriedades no sistema do CAR.
>> Entenda o Código Florestal

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *