Geociclo recebe injeção de R$ 70 milhões de 2 fundos

Luis Ushirobira/Valor / Luis Ushirobira/Valor
Monteiro de Carvalho, fundador da Geociclo, garantiu fatia de 40% na empresa

A Geociclo, empresa de fertilizantes criada pelo empresário Olavo Monteiro de Carvalho, acaba de receber um aporte de R$ 70 milhões de dois fundos de private equity com foco em projetos de sustentabilidade: Performa Key, uma associação da Performance com a Key Associados, e Mantiq Investimentos, ligado ao Santander. Os recursos são do BNDES e de investidores institucionais e serão usados nos projetos de expansão da empresa.

A primeira fábrica, em Uberlândia (MG), terá a produção ampliada de 40 mil toneladas para 140 mil toneladas já no primeiro semestre de 2014. Uma segunda unidade, com capacidade para 100 mil toneladas, será inaugurada ainda este ano em Goianésia (GO).

A companhia planeja ainda uma terceira planta, provavelmente no Estado de São Paulo, e negocia com grandes empresas do setor agroindustrial a construção de unidades exclusivas para dar destinação a rejeitos orgânicos que são usados na fabricação de seu único produto – um fertilizante organomineral em pelotas que conjuga material orgânico, nitrogênio, fósforo e potássio (o tradicional NPK).

"Com mais duas fábricas, teremos a maior produção de fertilizante organomineral do mundo. O grande salto dessa etapa do projeto é dar escala à produção", resume o presidente da Geociclo, Ernani K. Judice, que espera alcançar um faturamento de R$ 350 milhões apenas com a inauguração da segunda fábrica.

De acordo com Judice, mesmo com o aumento da produção, a participação de mercado da Geociclo ainda será muito pequena em relação à demanda do mercado brasileiro de fertilizantes. Ele destaca, porém, que o interesse dos fundos chancela as soluções embutidas na proposta da empresa. "É um modelo sustentável e inovador, que vai ao encontro das demandas do agronegócio brasileiro", resume.

É o caso dos projetos que estão sendo negociados com grandes grupos para a produção em ciclo combinado – a empresa recebe rejeitos de cana-de-açúcar, de granjas etc, processa, adiciona NPK e revende as pelotas de fertilizante. "O investimento em tecnologia que fizemos corresponde à necessidade de muitas indústrias de dar destino a seus rejeitos orgânicos. Além disso, melhora a aplicação de fertilizantes, diminuindo os gastos e aumentando a produtividade", afirma, citando grupos como Raízen, Bunge e Brookfield entre os possíveis parceiros da Geociclo.

Do montante de R$ 70 milhões, o próprio Monteiro de Carvalho aportou R$ 10 milhões. Com os R$ 50 milhões investidos desde a criação da empresa, o empresário garantiu uma participação de 40% na companhia. As conversas com os investidores, porém, já deixaram encaminhadas as próximas etapas da reestruturação: uma possível oferta pública de ações (IPO) da empresa. "Fiquei impressionado com a mentalidade de investimento desses fundos. O horizonte fica entre três anos", conta Monteiro de Carvalho.

A preocupação com a saída do investimento deve-se ao prazo de desinvestimento dos fundos. U, deles tem prazo de sete anos e já existe há três anos. Mas Monteiro de Carvalho considera o IPO uma boa alternativa para o crescimento da empresa. "Inclusive porque eles pagaram muito barato", brinca, apostando no potencial do negócio que desenvolve há mais de cinco anos e que emprega 120 pessoas, a maior parte dedicada a pesquisa e desenvolvimento.

Na avaliação de Monteiro de Carvalho, a Geociclo é essencialmente uma empresa de pesquisa e inovação. Não à toa, a companhia se credenciou em quatro oportunidades para receber recursos da Finep, em 2008, 2009, 2010 e 2012. O último aporte aprovado chegou a R$ 36 milhões, dos quais R$ 12 milhões já foram liberados. "Ao todo, a Finep colocou cerca de R$ 20 milhões na empresa", resume Judice.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3342716/geociclo-recebe-injecao-de-r-70-milhoes-de-2-fundos#ixzz2l5asDDxT

Fonte: Valor | Por Renata Batista | Do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *