Garantia Safra tem mais de 30 mil inscritos para o ano agrícola 2013-2014

Garantia Safra é um programa do governo federal com apoio de governos estaduais

Garantia Safra é um programa do governo federal com apoio de governos estaduais

O Programa Garantia Safra já tem 30.362 agricultores inscritos em Alagoas para o ano agrícola 2013-2014. Em caso de perda da plantação provocada por seca ou excesso de chuvas, cada um deles pode receber R$ 850 como seguro, divididos em cinco parcelas de R$ 170.

A meta do Estado é inscrever 35 mil agricultores do Agreste, Médio e Alto Sertão. Para se inscrever, os agricultores que possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) devem procurar os escritórios locais e regionais da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri) e do Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável (Emater). Depois, devem fazer a adesão. Para isso, é necessário ir até às Secretarias Municipais de Agricultura, para receber um boleto.

“O Garantia Safra é um programa do governo federal em parceria com o Governo do Estado e os municípios são essenciais para os produtores, especialmente devido às ações do clima. Esse seguro é uma das ações de auxílio para convivência com a seca e por isso temos total apoio do governador Teotonio Vilela na condução desse programa em Alagoas”, frisou o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, José Marinho Júnior.

O benefício do Garantia Safra é pago com recursos do Fundo Garantia Safra, composto por contribuições do agricultor, do município, do Estado e da União. Na safra 2013/2014, a contribuição do agricultor é de 1,5% do valor do benefício (R$ 12,75), o município paga 4,5% (R$ 38,25 por agricultor); o Estado contribui com 9% do valor ao Fundo (R$ 76,50) e a União paga 30% (R$ 255 por agricultor que aderir ao Garantia Safra).

Os agricultores que aderirem ao seguro nos municípios em que forem detectadas perdas de, pelo menos, 50% da produção de algodão, arroz, feijão, mandioca ou milho, receberão a indenização diretamente do governo federal. Podem participar os agricultores dos municípios do Agreste, Médio e Alto Sertão com renda familiar mensal de até 1,5 salário mínimo, que plante entre 0,6 e 5 ha de algodão, arroz, feijão, mandioca ou milho. A adesão deve ser feia antes do plantio.

Fonte: tribunahoje.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *