Gafanhotos colocam autoridades em alerta

Insetos que se deslocam para o Rio Grande do Sul se moveram quase 100 quilômetros em apenas um dia

A nuvem de gafanhotos que avança por províncias da Argentina, e que teria começado no Paraguai, está sendo monitorada com apreensão na Fronteira-Oeste do Rio Grande do Sul. De acordo com Marco Camargo, diretor do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola no Estado (Sindag/ RS), pilotos já estão em alerta na região para o caso de ser necessário o combate químico dos insetos.

"A extensão da nuvem de gafanhotos poderia consumir uma área de pasto na quantidade equivalente a 20 mil bovinos em um dia. Já estamos em contato com o Ministério da Agricultura e o Meio Ambiente para que tenhamos a chancela no caso de uso de químicos.

A probabilidade de ingresso na Fronteira-Oeste é muito grande", alerta Camargo.

De acordo com a prefeitura de Uruguaiana, ainda que nenhum registro tenha sido feito no Estado, até o momento, equipes da Secretaria do Meio Ambiente estão monitorando o caso desde que a nuvem avançou pela província de Corrientes, na fronteira com o Rio Grande do Sul. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) também monitora o avanço dos insetos. "É uma distância relativamente próxima.

Se essa nuvem persistir e as condições meteorológicas forem favoráveis ao ingresso da praga no Estado, pode afetar algumas culturas e pastagens inclusive", avalia o fiscal agropecuário Ricardo Felicetti, chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr.

O secretário Covatti Filho afirma que a pasta está monitorando junto com o ministério para saber se haverá o ingresso na região da fronteira. "Estamos atentos a todo o movimento e discutindo ações para preparar o Estado, caso haja avanço da nuvem de gafanhotos.

O risco existe e não podemos ignorar" ressalta Covatti. A atenção nacional teve início ainda em final em maio, de acordo com a Metsul Meteorologia. A Metsul informou que o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa), do governo da Argentina, confirmou que uma nuvem enorme de gafanhotos avançou da província argentina de Formosa até chegar à província de Santa Fé e ruma para Entre Rios e Córdoba. Assim, há alerta na província de Corrientes, que faz fronteira com o Oeste do Rio Grande do Sul, e o território provincial, incluindo a fronteira gaúcha, foi colocada em estado de atenção pela Senasa.

O coordenador do programa nacional de gafanhotos do órgão, Héctor Medina, afirma que a nuvem se moveu quase 100 quilômetros em um dia devido às altas temperaturas e ao vento. Ainda segundo a Metsul, o especialista cada quilômetro quadrado de gafanhotos pode comer o mesmo que 35 mil pessoas ou cerca de 2 mil vacas por dia. A extensão da nuvem detectada pode chegar a 10 quilômetros.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!