Furacão Irma fez suco de laranja disparar em NY; algodão também subiu

Os produtores americanos de laranja e algodão passaram a semana passada apreensivos com a chegada do furacão Irma. O temor é que o furacão, que foi rebaixado para a categoria 3, destrua os pomares da Flórida, onde o furacão chegou no domingo de manhã. No acumulado da semana, os papéis do suco concentrado e congelado (FCOJ, na sigla em inglês) para novembro subiram 12,82% (ou 1.750 pontos) na bolsa de Nova York. Os lotes do algodão para dezembro – que registraram forte oscilação com o furacão Harvey – subiram 3,7%.

Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos EUA, o Irma provocou ventos de 230 km/h. "Toda a safra está em risco, e as árvores já estão cheias de frutas", disse Donald Keeney, meteorologista da MDA Weather Services à Dow Jones Newswires. Analistas disseram que o furacão pode acabar com mais de 20% da safra do Estado. A Flórida concentra 60% da produção de laranja do país.

Se, de fato, o furacão atingir em cheio os pomares, os danos não ficarão restritos à safra atual, observou em relatório a clientes Alan Konn, sócio da Price Asset Management. "Leva anos para se cultivar um pé de laranja. Se eles forem destruídos, o efeito para os produtores será de anos". Na sexta-feira, os contratos com vencimento em novembro, os mais negociados de suco, subiram 5,23% (765 pontos), para US$ 1,54 a libra-peso.

O Irma também gerou nervosismo no mercado de algodão. Havia a possibilidade de que atingisse os Estados da costa leste, mas ontem o NHC indicou que o Irma deve ir para a região de Alabama, Tennessee e Arkansas.

Há duas semanas, o Harvey atingiu o Delta do Mississippi e o Texas – maior produtor de algodão dos EUA. Além de as lavouras terem ficado encharcadas e o algodão não poder ser descaroçado, pelo menos 100 armazéns explodiram. Cálculo da consultoria Zaner Group indica que 87 mil toneladas da fibra foram destruídas. O Harvey também interrompeu a exportação da fibra pelo Golfo do Texas.

Os papéis de algodão com vencimento em dezembro subiram 5,47% na semana encerrada no dia 1º de setembro. Na terça-feira, tiveram alta de 4,17%. Depois disso, passaram por realização de lucros dos investidores, mas terminaram o pregão da sexta-feira a 74,59 centavos de dólar a libra-peso, alta diária de 0,43%.

No Brasil, o indicador Cepea/Esalq para o algodão fechou a sexta-feira com alta de 0,96%, para R$ 2,5317 a libra-peso. O preço da caixa de laranja (de 40,8 quilos) destinada à indústria ficou estável em R$ 19,27, de acordo com levantamento do Cepea.

Por Fernanda Pressinott | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *