Fundo Socioambiental concederá crédito para apoiar negócios comunitários rurais e florestais

Organização Conexsus, responsável pelos recursos, espera começar a liberação dos financiamentos a partir de 31 de julho

REDAÇÃO GLOBO RURAL

03 JUN 2020 – 10H46 ATUALIZADO EM 03 JUN 2020 – 10H46

    peconheiro-açai-extrativismo-amazonia (Foto: Divulgação)

Extrativismo sustentável é um dos segmentos a serem atendidos por Fundo Socioambiental da Conexsus (Foto: Divulgação)

A organização Conexus, voltada para atender negócios comunitários rurais e florestais, anunciou a abertura de uma linha de crédito em seu Fundo Socioambiental para associações, cooperativas e centrais cooperativas ligadas à agricultura familiar, além de extrativismo sustentável e pesca artesanal. A intenção é ajudar na redução dos efeitos trazidos pela pandemia de coronavírus sobre os negócios desses segmentos.

Em nota, a entidade informa que as operações podem variar de R$ 50 mil a R$ 200 mil, com a expectativa de iniciar a liberação dos empréstimos a partir de 31 de julho. A chamada está aberta para propostas de todo o Brasil. De acordo com a Conxsus, os recursos poderão ser usados para capital de giro, um dos principais problemas identificados pela entidade em levantamento feito com negócios comunitários pelo país.

Negócio que faturam até R$ 1,2 milhão por ano podem pedir financiamentos de até R$ 50 mil. Na faixa de R$ 1,2 milhão e R$ 3,6 milhões, o limite de crédito é de R$ 120 mil. Acima desse patamar de receita, o empréstimo pode chegar a até R$ 200 mil. O prazo de pagamento é de dois ano, com um de carência para início da quitação das parcelas.  A taxa de juros é de 6% ao ano.

“Para ter os recursos liberados até o final de julho, é preciso enviar a proposta até 30 de junho. A linha emergencial receberá propostas até 31 de agosto e a previsão é que todas as propostas aprovadas sejam liberadas até 15 de setembro”, diz a nota. A concessão do crédirto está condicionada à presença de assessoria administrativo-financeira dos negócios, ressalta a Conexsus, no comunicado.

Fonte: Globo Rural

Compartilhe!