Fundo Aqua Capital aumenta aporte no Brasil e prospecta países vizinhos

Luis Ushirobira/Valor / Luis Ushirobira/Valor
Sebastian Popik, do Aqua Capital: empresas brasileiras ligadas ao agronegócio receberão maior parte dos investimentos

O Aqua Capital, fundo de private equity com foco nos setores de agronegócios e alimentos, tem na carteira cerca de R$ 400 milhões para investir em empresas de médio porte no Brasil e em outros países da América do Sul, como Chile, Uruguai e Paraguai. Desse montante, a maior parte será direcionada ao Brasil, que já recebeu cerca de R$ 100 milhões em aportes. Com o mais recente deles, adquiriu no país o controle acionário da Aminoagro, uma empresa de fertilizantes foliares.

A primeira aquisição do fundo no Brasil foi em 2011. Na ocasião, se tornou co-controlador da Comfrio, empresa paulista de logística que presta serviços a empresas de produção agropecuária e alimentos processados.

Fundado em 2009 e com sede em São Paulo, o Aqua agrega investidores institucionais da América Latina, EUA, Europa e Oriente Médio. O fundo costuma se envolver na gestão das empresas nas quais adquire participação, de acordo com Sebastian Popik, sócio-diretor do Aqua Capital.

"Estamos mapeando segmentos capazes de promover ganhos de produtividade, desde insumos, materiais, processos, logística e maquinários", afirmou Popik.

A escolha da mais recente aquisição, finalizada no mês passado, se deu pelo fato de a Aminoagro ser uma "empresa estruturada" e atuar em um segmento – fertilizantes especiais – que cresce a taxas atrativas, de 15% a 17% ao ano. De acordo com Popik, o Aqua avaliou 12 empresas do ramo de fertilizantes foliares antes de escolher a Aminoagro.

O Aqua investiu R$ 60 milhões para passar a deter cerca de 80% de participação acionária da Aminoagro, uma empresa familiar que atua há nove anos no mercado de fertilizantes foliares, com maior comercialização de organominerais.

Com fábrica em Cidade Ocidental (GO), próximo a Brasília, a capacidade atual de produção da Aminoagro – de 25 milhões a 30 milhões de litros por ano, cerca de cinco vezes maior que o volume comercializado atualmente – é adequada para o crescimento esperado com a entrada do Aqua, afirma Ricardo Carreon, diretor-presidente da empresa goiana. Segundo ele, a Aminoagro está entre as seis maiores companhias da área.

Nos últimos anos, a companhia vem crescendo de 15% a 16%, mas a expectativa é que essa taxa dobre nos próximos anos, estima Carreon. O faturamento da Aminoagrono no ano passado foi de aproximadamente R$ 40 milhões, 15% acima de 2011. Para este ano, é esperado um crescimento semelhante.

Além de contar com o aporte de capital para aumentar a velocidade de crescimento, Ricardo Carreon acredita que a participação do Aqua deverá garantir maior profissionalização à empresa.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3290754/fundo-aqua-capital-aumenta-aporte-no-brasil-e-prospecta-paises-vizinhos#ixzz2gZSOxdeb

Fonte: Valor | Por Carine Ferreira | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *