Fundação Espaço Eco lança Atlas Ambiental Mata Viva de Guaratinguetá

Projeto será implementado durante dois anos e beneficiará professores e alunos da rede pública de ensino da cidade

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

Projeto visa capacitar professores e formar multiplicadores e formadores de opinião nas regiões beneficiadas

A multinacional Basf, através da Fundação Espaço Eco, lançou nesta quarta-feira (12/6), no Complexo Químico de Guarantinguetá, interior de São Paulo, o Programa Mata Viva de Adequação de Educação Ambiental.

O projeto, que tem forte cunho educacional, visa capacitar professores locais e fazer diagnósticos ambientais de municípios da região. O programa desenvolveu um material didático, com informações adaptadas para as cidades beneficiadas.
Durante o evento, os executivos da Basf e da Fundação Espaço Eco comemoraram 1 milhão de mudas já plantadas pelo programa.
As ações do Atlas Ambiental Mata Viva em Guaratinguetá acontecerão até 2015 e contemplarão a realização de encontros de capacitação de professores, pesquisas, concursos de desenho, entre outras.
O material didático é composto por textos, infográficos, imagens de satélite que abordam grandes áreas do conhecimento humano relacionadas às características do município.
Ao todo, o Atlas Ambiental Mata Viva do município beneficiará cerca de sete mil estudantes de 34 escolas e fará a capacitação de 44 professores da rede municipal de ensino.
“A cidade de Guaratinguetá é o berço do Programa Mata Viva, que por sua vez, também faz parte da história da cidade. Essa relação traz benefícios para ambas as partes e será contada no Atlas Ambiental Mata Viva. Guaratinguetá é uma cidade ideal para receber esse projeto”, afirmou Willi Nass, vice-presidente do Complexo Químico de Guaratinguetá, Serviços Técnicos e Infraestrutura para América do Sul.
O programa integra a vertente educacional do Programa Mata Viva que conta com os projetos Teatro Mata Viva e o Núcleo de Educação Ambiental Mata Viva. O Atlas Ambiental Mata Viva já existe em outras cinco cidades (Bebedouro/SP, Campo Mourão/PR, Castro/PR, Guairá/SP e Guarapuava/PR).
Além de promover a capacitação dos professores, o projeto oferece aprendizado a alunos das escolas públicas sobre as características ambientais da região em que vivem, apresentando novas perspectivas das ações locais e seu impacto global.
Com isso, pretende-se criar novos multiplicadores da sustentabilidade em cada região. Ao todo, o projeto já beneficiou mais de 50 mil estudantes e mais de 400 professores capacitados de 264 entidades entre escolas e instituições.
“Queremos presentear Guaratinguetá, que é o berço do Programa Mata Viva, com o fornecimento de um material didático para as escolas, mas também para que cada cidadão possa contribuir a partir de sua cidade, sendo um agente mobilizador para melhorar a qualidade de vida”, afirma Roberto Araújo, diretor presidente da Fundação Espaço Eco.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *