Fumicultor prevê quebra e valorização

A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) prevê redução na estimativa inicial de colheita de 720 mil toneladas de tabaco na atual safra em função das condições climáticas desfavoráveis, principalmente nas áreas de cultivo do Rio Grande do Sul. O presidente da Afubra, Benício Werner, explica que a região foi bastante castigada pelo excesso de chuvas. ‘As lavouras das áreas mais baixas, cultivadas em junho e julho, devem registrar produtividade menor’, afirma. Apesar das perdas, o equilíbrio entre a oferta e a demanda deve favorecer a comercialização. A quebra alimenta a expectativa de que possa ocorrer acerto na próxima reunião de negociação de preço com as fumageiras.

Uma posição mais precisa sobre as perdas deve vir com a conclusão do levantamento previsto para janeiro. Na safra passada, a oferta equilibrada garantiu boa rentabilidade aos produtores de tabaco, com o preço médio da variedade Virgínia, que responde por 85% da área cultivada no Sul do Brasil, em R$ 7,51/quilo. ‘Para 2014, a tendência é que isso se repita’, diz Werner.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *