Fórmula 85/95 vira consenso

Até a paralisação das negociações, o chamado cálculo 85/95 – a soma da idade e do tempo de contribuição deve alcançar 85 para as mulheres e 95 para os homens – caminhava para ser um consenso entre as centrais sindicais e o governo como fórmula para substituir o fator previdenciário. Segundo o senador Paulo Paim (PT), na mesma reunião com Dilma Rousseff, a presidente chegou a referir que a saída seria encontrar um meio termo, sem o fim puro e simples da regra atual.
– Ela não falou, mas tanto ela quanto eu sabíamos que estávamos falando sobre o 85/95 – diz.
Istvan Kasznar, da FGV, também aposta na fórmula como a alternativa mais viável para ser colocada no lugar do fator. Segundo o especialista, significaria que, na média, as mulheres teriam de contribuir mais dois anos e os homens, três.
– Se queremos diminuir a pressão deficitária devemos ampliar o prazo de trabalho e aumentar o tempo de contribuição. Essa não é a fórmula ideal, mas não é fácil encontrar algo melhor. É preciso entender que uma nação não se faz sem sacrifícios – afirma Kasznar.

O QUE É O FATOR

– Criado em 1999, tem uma fórmula que leva em consideração o tempo de contribuição, a idade e a expectativa de vida no momento da aposentadoria (conforme tabela do IBGE que muda todo ano).

– Na prática, reduz o benefício de quem se aposenta cedo. E o índice puxa cada vez mais para baixo o benefício a cada ano devido ao aumento da sobrevida dos brasileiros.

Fonte : Zero Hora |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *