Frigoríficos param abates para estancar a sangria do caixa

Na indústria de carnes, os prejuízos acumulados pelos frigoríicos têm levado à paralisação temporária de abates. A questão, para esses, não é esperar preços ou condições melhores, mas estancar a sangria do caixa, diz o presidente da Abrafrigo, Paulo Mustefaga.

Nos 12 meses até fevereiro, o preço do boi gordo subiu 53%, enquanto a carcaça, que é a carne com osso negociada no atacado, teve o preço reajustado em 42%. Com essa defasagem, só não está estrangulado o frigoríico que exporta e que, por isso, fatura em dólar. Segundo a Abrafrigo, porém, 75% da produção brasileira ica no mercado interno.

Há um ano, diz Mustefaga, a venda da carne dava à indústria um lucro de R$ 190 por boi de 16 arrobas. Hoje, essa operação deixa R$ 134 de prejuízo.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *