Frigorífico brasileiro esclarece que fabricante acusado de usar carne de cavalo não tem relação com a empresa

A JBS Toledo, subsidiária na Bélgica, suspendeu todos os contratos com a companhia alemã

O frigorífico JBS afirmou, nesta terça-feira (19), que a empresa alemã Schypke, fabricante de produtos cárneos processados, não pertence ao seu grupo econômico e não possui qualquer relação societária ou operacional com a companhia.
A JBS Toledo, que representa o frigorífico na Bélgica, foi notificada na última segunda-feira (18) que teria comercializado a um cliente na Europa carne produzida pela empresa alemã Schypke, na qual teriam sido encontrados, por exame de DNA, traços de carne de cavalo.
O cliente em questão é a multinacional Nestlé, que compra produtos da JBS Toledo e que informou, em comunicado na última segunda-feira (18), ter encontrado mais de 1% de carne de cavalo em produtos oferecidos pela empresa alemã H.J. Schypke, subcontratada do frigorífico JBS.

O valor está acima do limite definido no Reino Unido pela Agência de Segurança Alimentar para indicar provável adulteração ou grande negligência.
Em nota, o frigorífico afirmou que desenvolveu alternativas europeias de suprimento em comum acordo com seus clientes para garantir fornecimento no caso de eventuais mudanças legais ou barreiras ao comércio internacional.
— A JBS Toledo informa ao mercado que suspendeu todos os contratos com a Schypke e não comercializará mais produtos europeus até que a confiança na segurança do sistema de fornecimento do bloco seja restabelecida.
O frigorífico disse ainda que "nenhum caso de violação foi identificado nos produtos fabricados pela própria JBS".
— Nenhum contrato sofreu alteração ou cancelamento e os pedidos estão sendo cumpridos a partir das plataformas próprias de produção.
O frigorífico brasileiro afirmou que "tomará todas as providências legais cabíveis para assegurar que não sofrerá qualquer prejuízo por conta do ocorrido".
Nestlé
A Nestlé, por sua vez, disse já ter informado as autoridades e, como medida de precaução, suspendeu a comercialização de produtos que possam estar contaminados, como massas e lasanhas, para países europeus como Itália, França e Espanha.

Fonte: R7